São Paulo tem difícil missão contra o River Plate no Morumbi

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de dezembro de 2003 as 21:57, por: cdb

O São Paulo transborda confiança para o jogo desta quarta-feira contra o River Plate, às 21h50, no Morumbi, pela semifinal da Copa Sul-Americana. Sentimento quase inexplicável, após a derrota por 3 x 1 no jogo de ida – que força o Tricolor a vencer por três gols de diferença para ir à decisão. Quase, mas não totalmente inexplicável.

Até os jornais argentinos perguntam: de onde vem tanta confiança? Eles mesmos respondem, num misto de ironia e preocupação. Vem da classificação para a Libertadores após dez anos, conquistada com a vitória de domingo sobre a Ponte Preta. Resultado que tirou um peso enorme das costas dos são-paulinos e deixou o clima mais leve no clube.

“Alcançamos nosso objetivo”, resumiu o goleiro Rogério Ceni, após a partida contra a Macaca. “Agora temos que pensar na Copa Sul-Americana. Será nossa última empreitada neste ano, e espero que a torcida compareça ao Morumbi na quarta-feira”, completou o capitão, um dos mais aliviados pelo retorno do clube à principal competição continental.

Agora, tudo parece permitido no Morumbi. Luís Fabiano, geralmente avesso a entrevistas, não cansou de dar declarações nos primeiros treinos da semana. De volta à equipe, em meio à suspensão no Brasileiro, ele colaborou para aumentar o clima de festa. “Eu sempre me dou bem em jogos decisivos. Quando o time precisa de mim eu apareço”, prometeu o artilheiro.

Rogério Ceni segue os passos do colega. “Se jogarmos como na Argentina ou contra a Ponte, a coisa será complicada. Mas, se jogarmos bem, ganhamos com certeza”, assegurou. “Temos que armar uma grande festa no Morumbi”, prosseguiu o goleiro-artilheiro, que não cansa de pedir o apoio do torcedor.

Até o técnico Roberto Rojas resolveu quebrar o protocolo. A cautela tradicional ficou no passado, e a equipe será ofensiva contra o River Plate. Em parte devido à tranqüilidade que atingiu a comissão técnica, é verdade. Mas, principalmente, fruto da necessidade de uma boa vitória para se classificar à final.

“O São Paulo é muito grande para ficar satisfeito apenas com a classificação para a Libertadores”, avaliou o treinador. “Ainda falta mais. Podemos obter um resultado melhor na Sul-Americana”, completou o chileno, que escalou Diego Tardelli ao lado de Luís Fabiano, no ataque, e colocou o volante Carlos Alberto no banco.

O time argentino também contribui para o otimismo são-paulino. O meia Gallardo, autor de dois gols e principal destaque na vitória em Buenos Aires, sente uma contusão muscular na coxa esquerda. Tuzzo, titular da zaga, tem contusão idêntica ao parceiro. Se jogam ou não? A definição sairá somente nos vestiários do Morumbi.

SÃO PAULO X RIVER PLATE

Data: 2/12 (quarta-feira)
Horário: 21h50
Local: Morumbi, em São Paulo
Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Assistentes: Wálter Rial (URU) e Pablo Fandiño (URU)

São Paulo
Rogério Ceni, Gabriel, Jean, Lugano e Fábio Santos; Adriano, Fábio Simplício, Gustavo Nery e Souza; Diego Tardelli e Luís Fabiano.
Técnico: Roberto Rojas

River Plate
Costanzo, Ahumada, Ameli, Tuzzio (Tula) e Rojas; Coudet, Pereyra, González e Gallardo (Dominguez); Montenegro e Maxi Lopez.
Técnico: Manuel Pellegrini