São Paulo estimula doação de sangue entre os jovens

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de outubro de 2009 as 12:22, por: cdb

Uma parceria entre a Secretaria Saúde, através da Hemorrede e a Cruz Vermelha Filial São Paulo irá implantar no Estado de São Paulo o projeto Clube 25. A iniciativa segue os moldes da ação de mesmo nome que foi lançada em 1989, no Zimbábue, na África, quando foi realizado um programa piloto para a fidelização de jovens doadores de sangue. A estratégia denominada “Compromisso 25” criava clubes de doadores de sangue, onde os jovens assumiam o compromisso de realizar 25 doações de sangue depois de terminar o ensino médio.

De acordo com a Secretaria de Saúde, em São Paulo, o Clube 25 foi adaptado e direcionado de acordo com as necessidades de saúde pública do Estado. O projeto prevê que jovens entre 18 e 25 anos associados ao Clube 25 recebam orientação completa referente à doação de sangue, além de se envolverem em atividades educacionais e culturais voltadas à promoção da saúde.

Com isso, eles poderão trabalhar como disseminadores de informação para que mais jovens se unam ao processo, aumentando a captação de sangue e multiplicando o número de doadores por todo o Estado. Para a capacitação desses jovens, profissionais da saúde voluntários da Cruz Vermelha ministrarão palestras e discutirão temas relacionados à importância da doação.

Para ser sócio do Clube 25, além de receber toda a preparação, o jovem deve ser um doador regular, ou seja, realizar ao menos duas doações de sangue por ano. Aqueles que estiverem impossibilitados de doar sangue também poderão fazer parte do projeto, tornando-se disseminadores da proposta de doação voluntária de sangue e participando das ações de promoção da saúde.

Os jovens do Clube 25 irão atuar, via hemorrede, em cidades com hemocentros, como São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Botucatu, Marília e São José do Rio Preto. A primeira turma será formada em dezembro. Aqueles que pretendem participar do projeto devem procurar a Cruz Vermelha Filial São Paulo.

– O projeto irá disseminar a prática de doar sangue entre os jovens. Eles irão contribuir não apenas doando sangue, mas fazendo parte de uma onda que irá multiplicar os doadores nas várias regiões do Estado – afirma Frederico Carbone Filho, médico da Hemorrede.