Santos garante vaga nas Libertadores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de março de 2003 as 23:50, por: cdb

Se o intuito do Santos era se recuperar após inesperados fracassos, o time do litoral conseguiu seu objetivo na noite desta quarta-feira ao bater o América de Cali por 3 x 0 na Vila Belmiro, pela quarta rodada na Taça Libertadores da América.

O Peixe não repetiu o show apresentando na partida de ida contra os “diabos” colombianos, quando goleou por 5 x 1, mas deu indícios de que seu “futebol espetáculo” não morreu. O time teve na dupla Diego/Robinho e no goleiro Fábio Costa seus maiores trunfos, cujas atuações conduziram a equipe à classificação matemática à segunda fase do torneio continental.

Com a vitória, a equipe da Vila soma agora dez pontos e se isola ainda mais na liderança do grupo 3, seguido pelo El Nacional, do Equador, que tem cinco.

Foi logo a bola rolar para a pouca torcida que foi à Vila constatar a recuperação santista. Recolocando em ação uma arma apresentada na última temporada, Elano fez grande jogada com Michel pela ponta-direita aos 3min e deixou o lateral livre dentro da área para cruzar. O ala destro só empurrou para o meio, e Diego arrematou de primeira: 1 x 0.

Depois disso, a acomodação de um time jovem que faz um placar favorável no início do jogo foi inevitável. Aliás, uma característica ruim que insiste em ir de encontro aos pedidos de Emerson Leão.

E a maré de falta de sorte do Peixe foi brava. Aos 7min, Fábio Costa saiu mal de sua meta e só não é surpreendido porque Alex o cobriu na jogada perdida. Cinco minutos depois, o goleiro salvou o Santos. Fez duas grandes defesas à queima roupa, e acabou aplaudido.

A partir dos 20min, com chances desperdiçadas e um pênalti a seu favor não marcado, o América voltou a dar espaços aos brasileiros. E pagou por isso aos 24min. A principal arma do Santos foi recarregada e não falhou.

Elano, de novo pela direita, cruzou no peito de Robinho na entrada da área. A bola foi amaciada nos pés de Diego, que deixou o companheiro de frente para o gol. Ele não pensou duas vezes, apenas deu um toque leve para encobrir o goleiro Zapata: 2 x 0 e a Vila aplaudia o primeiro gol do camisa 7 na temporada.

A partir da vantagem ampliada, o Peixe amoleceu sua marcação e passou a levar um sufoco. Até o término do primeiro tempo, a zaga se manteve má posicionada e por diversas foi surpreendida.

Ao longo da segunda etapa, o maior problema dos brasileiros continuou sendo este. E não era só em jogadas pelo meio. Os cruzamentos laterais do América levaram muito perigo à Fábio Costa, que foi salvo pelos erros de finalização do atacante Julián Vasquez.

Em um lance isolado de gol santista no segundo tempo, Diego acabou arrematando um forte chute nas mãos de Zapata aos 17min, depois de dominar a bola na entrada da área e driblar um zagueiro adversário.

E na outra oportunidade de marcar o terceiro gol, o Alvinegro não desperdiçou. Nenê, que entrou no lugar de Elano, chutou cruzado da entrada da área aos 31min, a zaga colombiana não cortou e Ricardo Oliveira só teve o trabalho de tocar para as redes: 3 x 0, e o gol acabou isolando o camisa 9 na artilharia da Libertadores, agora com quatro.

SANTOS 3 x 0 AMÉRICA DE CALI

Santos
Fábio Costa; Michel, André Luís, Alex e Léo (Rubens Cardoso); Paulo Almeida, Renato, Elano (Nenê) e Diego (Daniel); Robinho e Ricardo Oliveira
Técnico: Emerson Leão

América
Zapata; López, Tierradentro, Asprilla e Bustos; Navarro, Vargas, Banguero (Villareal) e Davi Ferreira; Moreno (José Moreno) e Julián Vásquez
Técnico: Fernando Castro

Data: 19/3/2003 (Quarta-feira)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos
Horário: 21h40
Árbitro: Daniel Giménez (Argentina)
Auxiliares: Gabriel Brazenas e Abraham Serrano (Argentina)
Cartões amarelos: André Luís (S); Navarro, Banguero, Vargas (A)
Gols: Diego, aos 3min e Robinho, aos 24min do 1T, Ricardo Oliveira, aos 31min do 2T