Santos e Paraná ficam no empate

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de março de 2003 as 22:42, por: cdb

Em sua estréia no Campeonato Brasileiro de 2003, o Santos apenas empatou por 2 a 2 com o Paraná Clube, em plena Vila Belmiro, na noite deste domingo.

Embalado pela boa campanha realizada na Libertadores da América – com quatro vitórias e um empate -, o Santos esbarrou na forte marcação do adversário e na arbitragem de Marcos Antônio Café, que deixou de marcar dois pênaltis para a equipe do litoral paulista.

O jogo entre o atual campeão brasileiro e o time paranaense, quase rebaixado no Brasileirão do ano passado e no estadual deste ano, foi muito nervoso. A equipe santista chegou a tomar dois gols na primeira etapa, mas empatou no segundo tempo.

Especialmente na etapa final, o jogo foi de um time só, com o Santos perdendo muitos gols. Apesar da pressão exercida no final da partida, o Santos não conseguiu chegar ao terceiro gol.

Na próxima rodada, o Santos vai a Minas Gerais enfrentar o Atlético-MG, que goleou o Corinthians por 3 a 0 na noite deste domingo. O Paraná tem um clássico estadual pela frente. O time jogará contra o Atlético-PR.

O jogo
O atual campeão brasileiro começou o jogo pressionando. Mas, ao mesmo tempo em que atacava, especialmente com Elano, Diego e Robinho, a equipe santista se esquecia dos contra-ataques. Foi assim até os 13min, quando Renaldo subiu no meio de dois zagueiros santistas e cabeceou para abrir o placar para o time paranaense.

O Santos continuou desatento na partida. Aos 28min, a defesa ficou olhando a arrancada de Marquinhos. Ele invadiu a área e foi interceptado por Paulo Almeida, que deu um carrinho para tirar a bola e fez contra. O gol foi anotado para Marquinhos. Era o segundo do Paraná na partida.

Após tomar o segundo gol, a equipe santista melhorou no jogo e começou a cadenciar melhor a partida. Aos 35min, Renato lançou Robinho, que saiu da marcação, invadiu a área e chutou colocado, no canto esquerdo do goleiro Darci, para descontar para o alvinegro praiano.

O árbitro do Distrito Federal Marcos Antônio Café foi bastante criticado pelas duas equipes. Muito confuso, perdeu o controle da partida. Ele deixou de marcar dois pênaltis para o time do Santos, em cima de Diego, na primeira etapa, e em Elano, no segundo tempo.

Além disso, não expulsou o jogador Marquinho, que fez falta violenta em Diego, e Paulo Almeida, que agrediu um jogador paranaense. Ele ainda chegou a mostrar o cartão amarelo ao goleiro Fábio Costa, que foi separar os jogadores santistas de uma briga com os paranaenses após uma falta violenta do time do Paraná.

O técnico Leão foi para o tudo ou nada no segundo tempo. Para manter o time na ofensiva, ele tirou Michel e colocou Nenê. Disposto a empatar a partida logo no início, o Santos quase chegou ao segundo gol antes do primeiro minuto da etapa final, com Renato.

O Santos passou a sufocar a equipe paranaense e abusou do direito de perder gol. O Paraná se defendia como podia. Numa boa jogada, aos 15min, Nenê quase empatou.

O Paraná perdeu um jogador, expulso. Com isso, o time santista dominou completamente a partida. Nenê, aos 30min, recebeu a bola, virou o corpo e chutou de pé direito, no canto de Darci, para empatar o jogo. Apesar da pressão exercida no final da partida, o Santos não conseguiu virar a partida.

SANTOS 2 X 2 PARANÁ CLUBE

Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP)
Árbitro: Marcos Antônio Café (DF)
Cartões amarelos: Fabinho (P), Marquinhos (P), Fábio Costa (S), Ageu (P), Paulo Almeida (S), Léo (S)
Cartões vermelhos: Valdir (P), Emerson (P),
Gols: Renaldo, aos 13min, Marquinhos, aos 28min, Robinho, aos 35min do primeiro tempo; Nenê, aos 30min do segundo tempo.

Santos
Fábio Costa; Michel (Nenê), André Luís (Fabiano), Alex e Léo (Willian); Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego: Robinho e Ricardo Oliveira
Técnico: Emerson Leão

Paraná Clube
Darci; Fernando Miguel (Valdir), Cristiano Ávalos e Ageu; Milton, Goiano, Émerson, Marquinhos e Fabinho (César Romero); Denys e Renaldo (Everton)
Técnico: Cuc