Santos assume a terceira colocação após vencer o Guarani por 2 x 0

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 2 de novembro de 2002 as 23:33, por: cdb

O Santos deu um passo importantíssimo rumo às quartas-de-final do Campeonato Brasileiro. Jogando no Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí, a equipe comandada por Emerson Leão derrotou o Guarani por 2 x 0 e assumiu provisoriamente a terceira colocação com 39 pontos, ao lado do São Caetano.

Por outro lado, o Guarani, que já esteve entre os oito melhores do Brasileirão, permanece na 13ª posição, com apenas 28 pontos. Com a derrota deste sábado, a equipe de Campinas acumula a quinta derrota consecutiva, todas para clubes paulistas.

Ao contrário do que se esperava, a partida foi equilibrada até metade da etapa inicial. O Santos tentava jogar em velocidade, mas parava na boa marcação do meio-campo bugrino. Já o time de Campinas insistia com o veterano João Paulo, que poderia abrir o placar logo aos oito minutos. O atacante driblou o goleiro Júlio Sérgio, mas chutou por cima do gol santista.

Robinho e Diego estavam sumidos na partida. A primeira grande jogada da dupla foi apenas aos 27 minutos, quando o primeiro recebeu livre no meio campo e caminhou até a área grande. O meia, que não costuma errar gols cara a cara com o goleiro, chutou em cima de Edervan.

Este lance mudou o percurso da partida. O Santos se animou e foi para cima do Guarani, que acumulava erros sucessivos de passe. Um minuto mais tarde, o atacante Alberto, que também andava sumido no jogo, driblou um zagueiro e chutou cruzado com perigo ao gol bugrino.

A abertura do placar ficava cada vez mais evidente. Até que aos 34 minutos, Diego cobrou falta no ângulo de Edervan. O goleiro defendeu, mas, segundo o árbitro Romildo Correia, dentro do gol. O possível erro causou revolta em todo o elenco campineiro.

Depois de quase cinco minutos de interrupção, a partida recomeçou e o Guarani deu mostras de que o primeiro gol santista mexeu com os ânimos. Érick, que não havia recebido cartão amarelo, fez falta violenta em Elano e acabou sendo expulso.

A partir daí, o Santos tocava com tranqüilidade na espera de ampliar o marcador. E não demorou para sair. Aos 43 minutos, o lateral Maurinho driblou dois zagueiros e se enrolou no momento do chute. Antes de perder a bola, o ex-jogador do Jundiaí, conseguiu tocar para Robinho, que apenas teve o trabalho de tocar para os fundos da rede.

O segundo tempo foi marcado pela falta de emoção. Com um jogador a mais, o Santos explorar o contra-ataque. Já o Guarani não conseguia passar pela defesa santista e, com o decorrer do tempo, se mostrava satisfeito com o resultado da partida.

GUARANI 0 x 2 SANTOS

Guarani
Edervan; Patrício, Juninho, Bruno Quadros e Emerson Ávila; Emerson, Otacílio (Leandro Guerreiro), Érick e Júnior; Sérgio Alves (Léo) e João Paulo (Brenner)
Técnico: Jair Picerni.

Santos
Júlio Sérgio; Maurinho (Robert), Preto, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (Alexandre) e Diego; Robinho e Alberto.
Técnico: Emerson Leão

Data: 2/11/2002 (Sábado)
Local: Estádio Jaime Cintra, em Jundiaí (SP)
Horário:16h
Árbitro: Romildo Correia (SP)
Cartão amarelo: Junior. Émerson Ávila e Emerson (Guarani); Alberto (Santos)
Cartão vermelho: Érick (Guarani)
Gols: Diego, aos 34 min, e Robinho, aos 43 min do primeiro tempo