Sandra Bullock gosta de interpretar mulheres comuns

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 14:31, por: cdb

Hollywood recorre a Sandra Bullock quando o papel exige aquela característica que os americanos definem como “the girl next door” (a garota da casa ao lado).

Dona de uma beleza comum, a atriz de 38 anos não se importa em colecionar mulheres atrapalhadas, inseguras e carentes em sua galeria de personagens.

“A mulher comum também merece ser representada nas telas”, afirmou Bullock, protagonista de mais uma comédia romântica, Amor à Segunda Vista, que estreou no Brasil na última sexta-feira.

“Nunca fui o tipo de mulher que as pessoas sonham em ver nua no cinema”, disse a atriz, escalada para viver uma advogada cerebral, recalcada e mal-aproveitada pelo chefe milionário (interpretado pelo inglês Hugh Grant).

A nova produção, com direção de Mark Lawrence, reserva várias situações constrangedoras à protagonista, incumbida de escolher até as roupas do patrão. Lucy Kelson, sua personagem, ainda precisa encontrar um banheiro às pressas depois de se entupir de cachorro-quente.

“Desde que divirta a platéia, encaro sem problemas uma humilhaçãozinha. Até porque nunca soube bancar a estrela mesmo”, diz a atriz.

Filha de uma cantora de ópera alemã e de um professor de dicção americano, Bullock descobriu a vocação para o showbiz cantando no coral de uma produção estrelada pela mãe.

“Ainda fui líder de torcida”, brincou a atriz, com cachê atualmente na faixa dos US$ 15 milhões em Hollywood. Sem planos de se casar ou formar uma família, Bullock prefere se dedicar integralmente à profissão.

“Nem toda mulher tem necessidade de ser mãe. Se eu não tivesse me tornado uma atriz, talvez estivesse em casa cuidando de crianças. Quando a minha hora chegar, talvez faça isso. Por enquanto, ainda sou muito egoísta. Estou exatamente onde sempre quis estar”, diz Sandra.