Sala de Troféus da CBF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de novembro de 2011 as 22:41, por: cdb

 A Virgem, estatueta de porcelana, pode ser a única remanescente da Copa do Mundo da França de 1938

– Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Nem só de títulos vive uma sala de troféus. Dando continuidadeao quadro “Sala de Troféus da CBF”, dessa vez o destaque é para AVirgem, uma estatueta de porcelana que foi entregue às seleçõesparticipantes da Copa do Mundo da França de 1938.A escultura foi desenhada pelo artista francês Etienne-MauriceFalconet no século XVIII. Especula-se que a peça que está na sededa CBF seja uma das poucas existentes no mundo, se não a única, porconta da Segunda Guerra Mundial.Nesta Copa do Mundo, o Brasil terminou na terceira colocação.Era, até então, o melhor resultado da Seleção num Mundial da Fifa.Ademar Pimenta foi o técnico da equipe, que venceu a Suécia por 4 a2 na disputa pelo terceiro lugar.Na campanha até a semifinal, a Seleção venceu a Polônia, por 6 a5, e depois a Tchecoeslováquia. Neste confronto foramnecessários dois jogos, já que não havia disputa de pênaltis.1 a 1 na primeira partida e 2 a 1 na segunda. Pegou a Itália poruma vaga na final, mas perdeu por 2 a 1.BRASIL x SUÉCIA – DISPUTA PELO 3º LUGARData: 19/06/1938Local: Estádio Municipal, Bordeaux (França)Público: 15 mil pessoasGols: Sven Jonasson 18′, Arne Nyberg 38′, Romeu43′, Leônidas da Silva 63′ e 73′ e Perácio 80′.BRASILBatatais, Domingos da Guia e Machado; Zezé Procópio, MartimSilveira e Afonsinho; Roberto, Romeu, Leônidas da Silva, Perácio ePatesko.Fonte: Gerência de Memória da CBF 

Sala de Troféus da CBF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 31 de outubro de 2011 as 10:40, por: cdb

 A Virgem, estatueta de porcelana, pode ser a única remanescente da Copa do Mundo da França de 1938

– Foto: Rafael Ribeiro / CBF

Nem só de títulos vive uma sala de troféus. Dando continuidadeao quadro “Sala de Troféus da CBF”, dessa vez o destaque é para AVirgem, uma estatueta de porcelana que foi entregue às seleçõesparticipantes da Copa do Mundo da França de 1938.A escultura foi desenhada pelo artista francês Etienne-MauriceFalconet no século XVIII. Especula-se que a peça que está na sededa CBF seja uma das poucas existentes no mundo, se não a única, porconta da Segunda Guerra Mundial.Nesta Copa do Mundo, o Brasil terminou na terceira colocação.Era, até então, o melhor resultado da Seleção num Mundial da Fifa.Ademar Pimenta foi o técnico da equipe, que venceu a Suécia por 4 a2 na disputa pelo terceiro lugar.Na campanha até a semifinal, a Seleção venceu a Polônia, por 6 a5, e depois a Tchecoeslováquia. Neste confronto foramnecessários dois jogos, já que não havia disputa de pênaltis.1 a 1 na primeira partida e 2 a 1 na segunda. Pegou a Itália poruma vaga na final, mas perdeu por 2 a 1.BRASIL x SUÉCIA – DISPUTA PELO 3º LUGARData: 19/06/1938Local: Estádio Municipal, Bordeaux (França)Público: 15 mil pessoasGols: Sven Jonasson 18′, Arne Nyberg 38′, Romeu43′, Leônidas da Silva 63′ e 73′ e Perácio 80′.BRASILBatatais, Domingos da Guia e Machado; Zezé Procópio, MartimSilveira e Afonsinho; Roberto, Romeu, Leônidas da Silva, Perácio ePatesko.Fonte: Gerência de Memória da CBF 

Sala de troféus da CBF

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de agosto de 2011 as 11:47, por: cdb

 Em 1976, no Torneio Bicentenário de Independência dos Estados Unidos, o Brasil conquistou mais um título. E foi de forma invicta

– Foto: Rafael Ribeiro / CBF

De volta com a série “Sala de Troféus da CBF”, que conta comcentenas de exemplares dos mais variados, o destaque desta vez épara o Torneio Bicentenário de Independência dos Estados Unidos. Em1976, num quadrangular disputado entre os dias 23 e 31 de maiocontra EUA, Itália e Inglaterra, o Brasil se sagrou campeão demaneira invicta.Foram três vitórias. Primeiro em cima da Inglaterra, num magroplacar de 1 a 0. O gol foi marcado por Roberto Dinamite, já nofinalzinho da partida, aos 90 minutos de jogo.Depois foi a vez de pegar os donos da casa. Gil, que seria maistarde o artilheiro da competição, com 4 gols, marcou os dois dotriunfo por 2 a 0. Essa partida foi disputada em Seattle, num campode grama sintética, o que não era nada comum na época.Na final, assim como havia acontecido na Copa do Mundo de 1970,o adversário foi a Itália. Coincidência ou não, o placar também foio mesmo. 4 a 1 para o Brasil com gols de Gil (2), Zico e RobertoDinamite. Os italianos descontaram com Fabio Capello.Confira a ficha técnica da final:BRASIL 4 x 1 ITÁLIAData: 31 de maioLocal: Yale Bowl Stadium, New HeavenPúblico: 32.096 pagantesÁrbitro: Ramon Barreto (Uruguai)Gols: Fabio Capello 2′, Gil 29′ e 53′, Zico 73’e Roberto Dinamite 75’ESCALAÇÕES:BrasilLeão, Orlando, Miguel, Amaral e Marco Antônio; Falcão, Rivelinoe Zico; Gil, Roberto Dinamite e Lula.ItáliaDino Zoff, Marco Tardelli, Francesco Rocca, Mauro Bellugi eGiacinto Facchetti; Romeo Benetti, Giancarlo Antognoni e FabioCapello; Franco Causio, Francesco Graziani e Paolo Pulici.