Saída de Teixeira da CBF e do COL não muda atitude do governo para a Copa de 2014, diz Rebelo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 12 de março de 2012 as 15:46, por: cdb

Bruno Bocchini

Repórter da Agência Brasil

 

São Paulo – O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse hoje (12) que a renúncia de Ricardo Teixeira não irá alterar a atitude do governo diante da Copa do Mundo de 2014. Teixeira deixou hoje a presidência da Confederação Brasileira de Futebol e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa.

“A alteração no comando do Comitê Organizador Local para a Copa do Mundo de 2014 não muda a atitude do governo, que sempre foi da busca de cooperação com todos aqueles que têm o objetivo comum de trabalhar para a realização da a Copa do Mundo”, disse o ministro. “O governo continuará se esforçando junto com a nova direção do Comitê Organizador Local para que a Copa do Mundo seja vitoriosa”, completou.

O ministro destacou que a alteração na presidência do COL e da CBF também não irá afetar o ritmo das obras preparatórias para o evento. “Não vejo como qualquer mudança no comando do Comitê Organizador Local altere o calendário ou o ritmo das obras para a Copa do Mundo”, declarou.

Rebelo disse ainda que não iria emitir opinião pessoal ou de ex-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Nike, na Câmara dos Deputados, que apurou denúncias de irregularidades na CBF na gestão de Teixeira. “Eu gostaria de falar na posição de comentarista. Mas, na posição de ministro, eu tenho de dizer o que é que o governo pode realizar junto com o Comitê Organizador Local, que é preparar a Copa do Mundo dentro da expectativa”.

Na carta em que comunica a sua saída do cargo, Ricardo Teixeira diz que deixa a presidência da CBF com a sensação de dever cumprido. “Futebol em nosso país é sempre automaticamente associado a duas imagens: talento e desorganização. Quando ganhamos, despertou o talento. Quando perdemos, imperou a desorganização”.

 

Edição: Aécio Amado