Saída de atores modifica rumos de ‘Malhação’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de novembro de 2003 as 00:52, por: cdb

Tradicionalmente, tal qual acontece com o ano letivo de uma escola comum, o Múltipla Escolha renova seu quadro de professores e alunos a cada começo de março. Com eles, mudam as histórias e os romances centrais, numa estratégia para manter em alta o interesse pelo programa.

Estreante como autor titular de “Malhação” na atual temporada, Ricardo Hofstetter se deparou, no entanto, com a necessidade de mudanças fora de hora.

Tudo por conta da saída de Maitê Proença e Cauã Reymond, dois atores do núcleo central do “folheteen”, que vão integrar o elenco de “Da Cor do Pecado”, a próxima novela das sete.
“Bom não é. Mas eventualmente temos de lidar com isso. Afinal, a empresa pode ter interesse de tirar um ator por um motivo ou outro”, contemporiza Ricardo.

Com a saída de Maitê o autor até já contava, mesmo porque a atriz assinou o contrato sob a condição de não ficar presa durante uma temporada inteira, mas apenas os oito meses de duração média de qualquer novela.

Há tempos Ricardo decidiu que Daniela, famosa por seus conceitos modernos de educação, seria convidada pelo dono da rede Múltipla Escolha para fazer um curso de Pedagogia na Finlândia.

“O país é um grande centro de referência nesta área”, destaca o autor, para logo em seguida emendar. “E é mesmo! Quando digo isso, as pessoas riem, pensando que é um recurso dramatúrgico ou uma piada”.

Só faltava decidir quem ocuparia seu lugar na direção do colégio. O autor apostou no professor Pasqualete, vivido por Nuno Leal Maia em duas das temporadas anteriores. “O Nuno é um ótimo ator e acho legal brincar com a volta dos personagens”, justifica o autor.

Para solucionar a ausência da matriarca da família do protagonista Victor, vivido por Sérgio Marone, Ricardo vai aumentar a participação de Suely Franco, que interpreta a mãe de Daniela, Laila. Já o coração de Paulo, interpretado por José de Abreu, vai finalmente ceder aos apelos de Sandra, personagem de Totia Meireles.

“Por um lado, é complicado mexer no principal par maduro da história. Por outro, a Sandra vai crescer muito”, pondera o autor. Maitê, por sua vez, sai satisfeita com sua participação. “Cheguei aqui com alguns pés atrás e saio já com saudades. É muito bom trabalhar com uma equipe coesa e atores com vontade de aprender”, destaca.

A saída de Cauã acabou motivando também a de Bárbara Borges. Maumau e Thaíssa vão fazer um curso de inglês no exterior, depois de tirarem as duas únicas tampinhas premiadas num concurso promovido por uma marca de chás no colégio.

O autor achou que seria complicado manter a função dramatúrgica de Thaíssa sem Maumau por perto. E acabou garantindo o final feliz dos dois. “A Júlia já ficou meio perdida na história com a saída do Pedro. Não podia repetir a mesma situação” avalia Ricardo, lembrando a personagem de Juliana Silveira.

Antes da saída, no entanto, o casal ainda vai protagonizar momentos engraçados. Tudo porque Maumau, que ganha a primeira tampinha, não tem coragem de deixar a namorada e entrega o prêmio a Cabeção, personagem de Sérgio Hondjakoff.

Logo depois, no entanto, Thaíssa é contemplada com a segunda viagem e os dois precisam quase bater em Cabeção para pegar o prêmio de volta. “É uma pena deixar o personagem num momento tão legal. Mas já era hora de encarar novos desafios e abrir espaço para outros atores em Malhação”, valoriza Cauã.

De fato, a saída de Maumau vai abrir, a princípio, três vagas no mais tradicional “celeiro” de atores da Globo. A solução encontrada pelo autor para recriar uma dupla para o irreverente Cabeção foi uma espécie de “reality-show” com três rostos desconhecidos.

Respondendo a um anúncio de Cabeção no jornal, os personagens vão “disputar” uma vaga na república. Ao mesmo tempo em que cria mais uma situação curiosa, Ricardo testa a atuação dos atores ao lado de Sérgio Hondjakoff.

– O mais legal é que numa determinada hora eles vão se unir pa