Rússia e Alemanha pedem mais tempo para inspeções da ONU no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 10 de março de 2003 as 11:08, por: cdb

Durante uma conversa por telefone nesta segunda-feira, o chanceler da Alemanha, Gerhard Schroeder, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, reafirmaram estar de “pleno acordo” sobre a posição de que os inspetores das Nações Unidas deveriam ter mais tempo para realizar suas buscas por armas de destruição em massa no Iraque, informou um porta-voz do governo alemão.

Mas Putin não se comprometeu com uma idéia da França, que sugeriu que os líderes dos 15 países membros do Conselho de Segurança compareçam à votação de uma proposta de resolução apresentada pelos Estados Unidos e a Grã-Bretanha, estabelecendo o prazo de 17 de março para que o Iraque se desarme ou enfrente um ataque.

França, Alemanha e Rússia têm liderado a resistência a uma guerra contra o Iraque.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores alemão Walter Lindner disse que, após a reunião do Conselho de Segurança de sexta-feira passada, Berlim vê uma “clara maioria” no órgão em favor do prosseguimento das inspeções.

No entanto, apenas Schroeder saudou publicamente, até agora, a idéia do presidente da França, Jacques Chirac, de realizar uma cúpula — o que os Estados Unidos rejeitam.

O porta-voz afirmou que Schroeder estava disposto a viajar para Nova York, mas isso dependeria de quantos outros líderes aceitassem participar.

Putin “deixou claro que a idéia ainda está sendo analisada pelo governo russo”, acrescentou.

Na Rússia, um porta-voz de Putin informou que os dois líderes “expressaram satisfação pelo fato de as conclusões dos inspetores internacionais confirmarem plenamente que há potencial para uma solução pacífica para as questões do Iraque”, de acordo com a agência de notícias Interfax.