Rússia destrói reservatório de petróleo do EI na Síria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 23 de novembro de 2015 as 10:34, por: cdb

Por Redação, com Sputnik Brasil – de Moscou:

Um reservatório de petróleo, uma refinaria e um comboio de caminhões-cisterna na posse dos terroristas do Estado Islâmico foram destruidos nos últimos dois dias na Síria pelas Forças Aeroespaciais da Rússia, disse nesta segunda-feira o representante oficial do Ministério da Defesa, general-major Igor Konashenkov.

A Rússia enviou a sua Força Aeroespacial (antiga Força Aérea) à Síria em 30 de setembro
A Rússia enviou a sua Força Aeroespacial (antiga Força Aérea) à Síria em 30 de setembro

–Os bombardeiros russos da base aérea de Hmeymim executavam missões de combate de destruição de comboios de caminhões-cisterna e refinarias na área de campos petrolíferos no norte e leste da Síria. A 15 quilómetros para sudoeste da cidade de Raqqa foi destruído um grande depósito de petróleo.

Além disso, a 50 quilómetros para sul da povoação de Raqqa, bombardeiros Su-34 destruíram uma refinaria controlada por terroristas. Segundo as palavras do representante do Ministério da Defesa, estes alvos nas áreas de Palmira, Deir ez-Zor e Raqqa eram controlados por terroristas e eram uma das fontes principais de financiamento dos militantes.

– No deserto de al-Mahimira, a 50 quilómetros para norte da povoação de Deir ez-Zor, bombardeiros Su-34 efetuaram um golpe contra cisternas com combustíveis. O alvo, na sequência de golpe direto foi completamente destruído – acrescentou Konashenkov.

A Rússia enviou a sua Força Aeroespacial (antiga Força Aérea) à Síria em 30 de setembro, quando o Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) aprovou esta medida, respondendo ao pedido correspondente de Damasco, que quis ajuda russa no combate ao grupo terrorista Estado Islâmico, proibido na Rússia e em outros países.

Combate contra EI

A Força Aeoespacial da Federação da Rússia atacou posições do Estado Islâmico em várias regiões da Síria. Aleppo, Damasco, Idlib, Lataquia, Hama, Homs, Raqqa e Deir ez-Zor são as províncias em que havia instalações do grupo terrorista, agora eliminadas pela aviação russa.

De acordo com o porta-voz do Ministério da Defesa russo, major-general Igor Konashenkov, os aviões russos fizeram 141 voo de combate, bombardeando 472 instalações dos terroristas.

A Rússia enviou a sua Força Aeroespacial (antiga Força Aérea) à Síria em 30 de setembro, quando o Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) aprovou esta medida, respondendo ao pedido correspondente de Damasco, que quis ajuda russa no combate ao grupo terrorista Estado Islâmico, proibido na Rússia e em outros países.

Forças Armadas

De acordo com o ministro da Defesa francês, Jean Yves Le Drian, as Forças Aeroespaciais russas intensificaram os ataques contra as posições do Estado Islâmico na Síria.

 – A posição da Rússia sobre a Síria mudou… Foi um golpe sério levado a cabo pelo Estado islâmico… Agora, a Rússia lança ataques contra posições significativas do Estado Islâmico, disse Le Drian à rádio Europa 1.

Em 30 de setembro, a aviação militar russa começou a executar ataques de alta precisão contra as forças do EI na Síria, a pedido do presidente sírio, Bashar Assad. Desde o início da campanha aérea, os aviões russos realizaram mais de 2.000 missões, destruindo cerca de 3.000 alvos do grupo terrorista e eliminando centenas de militantes.

Os navios de guerra da Frota russa do Cáspio também lançaram uma série de ataques com mísseis de cruzeiro contra o EI na Síria.

Na última terça-feira as Forças Aeroespaciais russas intensificaram a sua campanha na Síria, lançando ataques aéreos maciços contra forças do EI.

 

Comments are closed.