Rússia destrói alvo do grupo terrorista al-Nusra na Síria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de outubro de 2015 as 11:20, por: cdb

Por Redação, com Sputnik Brasil – de Moscou:

As Forças Aeroespaciais da Rússia destruíram uma fábrica de produção de projéteis comandados por rádio e um armazém com explosivos do grupo terrorista Frente al-Nusra na área de Aleppo, na Síria, disse nesta quarta-feira o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia general-major Igor Konashenkov.

No total, a aviação militar russa durante as últimas 24 horas realizou 46 voos de combate e atingiu 83 infraestruturas dos terroristas, acrescentou Konashenkov.

As Forças Aeroespaciais da Rússia destruíram uma fábrica de produção de projéteis
As Forças Aeroespaciais da Rússia destruíram uma fábrica de produção de projéteis

– Após a realização de um ataque localizado com bombas aéreas guiadas e a detonação a seguir dos explosivos, o alvo e dois caminhões junto a ele que tinham fornecido dezenas de toneladas de explosivos, foram destruídos  – sublinhou o representante do Ministério da Defesa.

Além disso, os bombardeiros russos destruíram um posto de comando e vigilância de militantes do Estado Islâmico na província de Idlib, na Síria, disse Konashenkov a jornalistas.

Segundo ele, naquela província durante o reconhecimento através de veículos aéreos não tripulados foi detetado um posto de comando e vigilância de militantes do Estado Islâmico.

– Era a partir desde posto que os militantes dirigiam o fogo diretamente na zona de combate, assim como corrigiam o fogo de morteiros. O alvo foi destruído por ataque de bombardeiro Su-24 – disse Konashenkov.

Desde 30 de setembro, a aviação russa, após pedido do presidente sírio, Bashar Assad, está realizando golpes aéreos contra alvos do Estado Islâmico na síria. Durante o tempo transcurrido desde o início da operação, a Força Aeroespacial russa aplicaram cerca de 750 golpes, eliminando centenas de terroristas, dezenas de postos de comando, armazéns e outros alvos e instalações. Além disso, 26 mísseis de cruzeiro lançados por navios da Frota do Mar Cáspio também atingiram alvos do Estado Islâmico.

De acordo com os dados do Estado-Maior General da Federação da Rússia, os combatentes terroristas já começaram fugindo da região, perdendo os armamentos e material bélico na linha de frente. Drones de reconhecimento russos aumentaram o número de voos para melhor controlar a situação.

O presidente Vladimir Putin confirmou mais cedo que o período da operação militar russa na Síria será limitado pela ofensiva do exército sírio, negando a possibilidade de uso das Forças Armadas da Rússia para ações militares terrestres.

Ataques contra EI

O presidente do parlamento sírio, Mohamad Jihad al-Laham, afirmou esta semana que os resultados alcançados nas operações da Rússia contra o Estado Islâmico na Síria em 15 dias são melhores do que os obtidos pela coalizão liderada pelos EUA em um ano.

O deputado destacou que os opositores às ações russas, em conjunto com o Exército sírio, são contra a luta do governo do presidente Bashar Assad para derrotar o terrorismo no país. Al-Laham lembrou que os EUA e seus aliados não impediram o avanço de organizações como o Estado Islâmico e da Frente al-Nusra, afiliada da Al-Qaeda, na Síria, e tampouco a entrada de estrangeiros para lutar nas fileiras extremistas.

Desde 30 de setembro, a Rússia está executando uma série de ataques aéreos contra as posições terroristas na Síria, enquanto o Exército do país faz incursões por terra. Os caças russos já destruíram grande parte da infraestrutura do Estado Islâmico e demais grupos, além de fazer inúmeras baixas humanas entre os extremistas que atuam no país árabe.

Drone russo

O porta-voz da companhia Izhmash Unmanned Systems, Evgeny Zaitsev, afirmou nesta quarta-feira que testará antes do final do ano o avião não-tripulado Granat-5, projetado para a Marinha russa.

 – Um de nossos projetos que serão submetidas a testes até o final do ano é o modelo de aeronave não tripulada com decolagem e pouso vertical Granat-5 – disse Zaitsev.

De acordo com ele, a aeronave multirotor pesa 7 kg e tem as vantagens da velocidade de um avião e a decolagem vertical de um helicóptero. “O Granat-5 foi projetado para as forças especiais da Marinha para examinar pequenas pontes antes do desembarque”, acrescentou Zaitsev.Os sistemas não tripulados Granat-1 a Granat-4 estão atualmente em uso pelo Exército Russo.