Ruas são recuperadas com serviço de tapa-buraco realizado pela Semob

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de março de 2012 as 10:37, por: cdb

Tweet

   Cinco equipes da Secretaria Municipal de Obras (Semob) estão em várias regiões da cidade realizando serviço de tapa-buracos. Para o trabalho foram mobilizados mais de 25 operários. As intervenções estão sendo feitas nos bairros Nova Porto Velho, Centro, Tiradentes, Areal, Santo Antônio, Liberdade, São Cristovão, Nossa Senhora das Graças, Costa e Silva, Nacional, Flodoaldo Pinto, Castanheira, Jardim Eldorado, Cohab, Caladinho,Jardim Santana e JK II.

   O coordenador municipal de Vias Públicas, Erenilson Brito, explicou que para a execução e melhor fluidez do trabalho foram priorizados os trechos da malha viária principal. Cada uma das cinco equipes tem entre cinco a seis operários que farão intervenção nos trechos mais críticos de cerca de trinta vias. “Priorizamos para esse serviço emergencial as vias de maior fluxo de veículos, as ruas e avenidas que servem de linha de ônibus, as que dão acesso à escolas e hospitais. Esses são os locais onde está sendo realizado o serviço de tapa-buraco por serem vias de grande movimentação, ao contrário da malha secundária”, explicou.

 O coordenador municipal de Vias Públicas adiantou que nessa época, por causa do inverno, o surgimento de buracos na pista é mais freqüente. Primeiro, pelo volume de chuva que aumenta; segundo, pela grande quantidade de carro circulando pelas ruas de Porto Velho, principalmente de veículos pesados como carretas, caçambas e caminhões. Outro problema verificado pela equipe da Semob diz respeito ao serviço de pavimentação feito pelas administrações municipais anteriores. O trabalho, na maioria das vezes, era feito sem as devidas obras de drenagem. Com as chuvas, a água não tem para onde escoar e fica empossada ou nas laterais das ruas ou no meio da via. “Fora isso, ainda há mais um agravante. É que o asfalto que eles utilizavam era o asfalto frio, que em contato constante com a água das chuvas, mais a grande movimentação de veículos, não resiste e acaba se rompe formando os buracos na pista que causam transtorno no trânsito”, frisou.

Por Joel Elias
Fotos: Frank Néry

Ruas são recuperadas com serviço de tapa-buraco realizado pela Semob

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 8 de março de 2012 as 16:08, por: cdb

Tweet

   Cinco equipes da Secretaria Municipal de Obras (Semob) estão em várias regiões da cidade realizando serviço de tapa-buracos. Para o trabalho foram mobilizados mais de 25 operários. As intervenções estão sendo feitas nos bairros Nova Porto Velho, Centro, Tiradentes, Areal, Santo Antônio, Liberdade, São Cristovão, Nossa Senhora das Graças, Costa e Silva, Nacional, Flodoaldo Pinto, Castanheira, Jardim Eldorado, Cohab, Caladinho,Jardim Santana e JK II.

   O coordenador municipal de Vias Públicas, Erenilson Brito, explicou que para a execução e melhor fluidez do trabalho foram priorizados os trechos da malha viária principal. Cada uma das cinco equipes tem entre cinco a seis operários que farão intervenção nos trechos mais críticos de cerca de trinta vias. “Priorizamos para esse serviço emergencial as vias de maior fluxo de veículos, as ruas e avenidas que servem de linha de ônibus, as que dão acesso à escolas e hospitais. Esses são os locais onde está sendo realizado o serviço de tapa-buraco por serem vias de grande movimentação, ao contrário da malha secundária”, explicou.

 O coordenador municipal de Vias Públicas adiantou que nessa época, por causa do inverno, o surgimento de buracos na pista é mais freqüente. Primeiro, pelo volume de chuva que aumenta; segundo, pela grande quantidade de carro circulando pelas ruas de Porto Velho, principalmente de veículos pesados como carretas, caçambas e caminhões. Outro problema verificado pela equipe da Semob diz respeito ao serviço de pavimentação feito pelas administrações municipais anteriores. O trabalho, na maioria das vezes, era feito sem as devidas obras de drenagem. Com as chuvas, a água não tem para onde escoar e fica empossada ou nas laterais das ruas ou no meio da via. “Fora isso, ainda há mais um agravante. É que o asfalto que eles utilizavam era o asfalto frio, que em contato constante com a água das chuvas, mais a grande movimentação de veículos, não resiste e acaba se rompe formando os buracos na pista que causam transtorno no trânsito”, frisou.

Por Joel Elias
Fotos: Frank Néry
< Anterior Próximo &gt