Rosinha não quer intervenção do governo no Rio e sim parceria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 8 de março de 2003 as 15:17, por: cdb

A governadora do Rio, Rosinha Garotinho (PSB), disse neste sábado que espera uma parceria e não uma intervenção do governo federal no Estado. Ela recebe à tarde os ministros da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e da Defesa, José Viegas Filho, para discutir um plano de combate às ações do crime organizado.

“A responsabilidade em relação às polícias Militar e Civil é do governo do Estado, mas o narcotráfico compete ao governo federal combater. Gastamos cerca de 70% dos recursos de segurança para tentar acabar com o narcotráfico e isso não cabe a nós”, afirmou.

Durante o programa “Bom Dia, Governadora”, na Rádio Tupi, Rosinha classificou a expectativa sobre uma possível intervenção do governo federal na segurança do Estado e, particularmente, na penitenciária de Bangu 1, como um mal-entendido, segundo o governo do Estado.

“Não pretendo antecipar a conversa, mas creio que o motivo da reunião é a discussão de uma parceria e não uma intervenção”, disse a governadora.

Rosinha pediu ao governo federal a permanência por mais 30 dias das Forças Armadas no Estado. Cerca de 3.000 homens do Exército foram às ruas do Rio para tentar garantir a tranquilidade da população durante o Carnaval.

A última semana de fevereiro foi marcada por uma onda de violência no Rio. Ônibus foram incendiados e parte do comércio fechou. As ações foram atribuídas à facção CV (Comando Vermelho). Um dos líderes da facção, o traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar foi transferido de Bangu 1 para a penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, interior de São Paulo, no último dia 27.

A reunião está marcada para as 17h no Palácio Laranjeiras.