Rosinha é ameaçada por servidores pelo atraso de 13º

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de fevereiro de 2003 as 23:54, por: cdb

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho, quase foi agredida na segunda-feira por servidores do Estado revoltados com o atraso do pagamento do 13º salário do ano passado.

Rosinha passou meia hora acuada no gabinete do presidente da Assembléia Legislativa, Jorge Picciani (PMDB). Ao sair por uma porta lateral, o carro da governadora, um Santana cor prata, foi cercado por manifestantes que, revoltados, deram socos e chutes no carro.

Ela participava da abertura do ano legislativo na Assembléia. Assim que souberam da presença da governadora, dezenas de manifestantes, em sua maioria servidores públicos do Estado, se concentraram nos arredores do Palácio Tiradentes, onde está localizada a Assembléia Legislativa do Rio.

Eles tentaram entrar no plenário da Assembléia, onde Rosinha fazia um discurso, mas foram impedidos por policiais militares.

Rosinha tentou em seu discurso justificar o não pagamento do 13o. salário dos funcionários do Estado. “Esperamos que seja possível pôr fim a essa discriminação que o Executivo tem há décadas com o nosso Estado”, disse ela.

O carro da governadora só conseguiu deixar o local com a ajuda da polícia e seguranças da Assembléia. Após o protesto, os manifestantes, na maior parte professoras e funcionários de escolas estaduais do Rio, fizeram uma passeata pelas ruas do centro da cidade.

A assessoria de imprensa do Palácio Guanabara informou que a governadora Rosinha não se machucou e passa bem.