Rodrigo Fabri recebe elogios de dirigente do Real Madrid

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 4 de outubro de 2002 as 23:37, por: cdb

Os 13 gols marcados até esta quarta-feira no Campeonato Brasileiro pelo meia-atacante Rodrigo Fabri, do Grêmio, mereceram elogio do diretor de futebol do Real Madrid, Jorge Valdano, por telefone. Quem divulgou a informação foi o próprio jogador.

O vínculo de Fabri pertence ao clube espanhol. Seu contrato com o Real vai até a metade de 2004. Já o seu empréstimo para o Grêmio encerra-se em 30 de junho de 2003. Porém, o artilheiro, de bem com a vida e com a torcida tricolor, afirmou que não pretende sair de Porto Alegre.

“A minha idéia é voltar a Madrid e negociar com o Real alguma forma de antecipar a minha liberação. Depois disso eu retorno a Porto Alegre e assino por, no mínimo, três anos”, planejou o meia-atacante.

Dificilmente tal plano seja colocado em prática, principalmente se o jogador confirmar a artilharia do Nacional, o que valorizaria seu vínculo. Esta valorização faria com que o time espanhol negociasse o atleta por valores elevados demais para os padrões do Tricolor gaúcho.

O Grêmio tem um teto salarial de R$ 45 mil. Fabri, que ganha de R$ 80 mil a R$ 100 mil, tem 80% de seus vencimentos pagos pelo clube detentor de seu vínculo.

O goleador do Campeonato Brasileiro tem uma marca a bater nos próximos jogos. Paulo Nunes, em 1996, assinalou 16 gols. Faltam três para Rodrigo Fabri igualar a marca. Ele, com seus 13, marcou 54,16% dos gols do time porto-alegrense, que tem 24.

“Fiquei sabendo deste feito do Paulo Nunes hoje (quinta-feira). Sei que estou perto de quebrar este recorde, mas vou deixar as coisas acontecerem naturalmente, sem ser egoísta com meus companheiros”, disse o meia-atacante, que atuou em todas as partidas do Grêmio no Brasileirão 2002 – somente o volante Emerson tem esta seqüência.

“Sempre que eu pude ter uma continuidade assim em um clube, joguei bem e me destaquei”, comentou Rodrigo Fabri, o jogador mais assediado por imprensa e torcedores na tarde dessa quinta-feira, no estádio Olímpico.