Roberto Freire ameaça deixar PPS se houver aliança com pefelistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de abril de 2002 as 15:46, por: cdb

O senador Roberto Freire, presidente nacional do Partido Popular Socialista (PPS), ameaçou abandonar a agremiação política caso se forme uma aliança com o Partido da Frente Liberal (PFL) com vistas às eleições presidenciais de outubro. Freire disse que não pode ser o líder de algo que não aceita.

Depois da desistência de sua pré-candidata Roseana Sarney a concorrer nas eleições, líderes do PFL mantiveram contatos com a coligação formada pelo PPS com o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT) a fim de examinar a possibilidade de apoiar a candidatura de Ciro Gomes (PPS). As declarações de Freire coincidiram com uma notícia dando conta de que o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) tentaria uma reaproximação com seus antigos aliados do PFL. Conversas do PSDB com o PFL e o Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) devem ser mantidas nos próximos dias.

O presidente nacional do PSDB, José Aníbal, admitiu nesta segunda-feira a reabertura do diálogo com o PFL, após a desistência de Roseana. Aníbal lembrou que os dois partidos estiveram juntos durante a maior parte da gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso e nada seria mais natural que voltem a se juntar na sucessão presidencial, desde que seja apoiada a candidatura do ex-ministro da Saúde José Serra.