Roberto Carlos vai virar cidadão espanhol

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de outubro de 2004 as 12:09, por: cdb

O lateral-esquerdo Roberto Carlos, do Real Madrid, confirmou que está próximo de se tornar cidadão espanhol. O jogador disse que essa é uma tendência natural para os jogadores brasileiros que estão há muito tempo na Europa, já que os grandes clubes europeus frequentemente ultrapassam o limite de jogadores estrangeiros.

Roberto Carlos afirmou que seus documentos já foram entregues às autoridades espanholas para que ganhe a dupla cidadania ainda este ano. Segundo o jogador, o pedido surgiu do próprio clube.

– Estou há muitos anos na Europa e acho esse processo bastante natural. Os clubes cada vez mais precisam de espaço para novos jogadores estrangeiros e aqueles que já estão muito tempo fora, como o Ronaldo e o Ronaldinho, deverão seguir a mesma tendência – disse Roberto Carlos aos repórteres na Granja Comary durante a preparação da seleção brasileira para os jogos com Venezuela e Colômbia pelas eliminatórias.

No Campeonato Espanhol, os clubes podem escalar apenas três jogadores de fora da Comunidade Européia por partida. Atualmente, o Real conta com três jogadores não-comunitários em seu time titular: o recém-contratado zagueiro argentino Samuel e os brasileiros Roberto Carlos e Ronaldo, que também pode em breve conseguir um passaporte europeu.
Durante coletiva de imprensa na quarta-feira, o atacante foi perguntado se aceitaria ganhar uma segunda nacionalidade caso recebesse uma alta compensação financeira de seu clube. Ronaldo não hesitou na resposta.

– Vou mandar meu passaporte para eles agora. Ano que vem vai ser ainda mais fácil, porque vou ter até sobrenome italiano – acrescentou ele, referindo-se ao casamento programado para o ano que vem com a modelo Daniella Cicarelli.

Aos 31 anos, Roberto Carlos disse que pretende mudar de posição após a Copa do Mundo da Alemanha, em 2006. Titular absoluto da seleção na lateral-esquerda, o jogador confessou que deve seguir o mesmo caminho de ídolos do passado: o meio-de-campo.

– Daqui a pouco não vai dar mas para correr o campo inteiro. Vou jogar de lateral até 2006 e depois da Copa já planejo a mudança para o meio, como fizeram tantos outros – disse ele, lembrando de Nilton Santos, Júnior e Leonardo como ex-laterais que mudaram para o meio-de-campo.