Ritmo da inflação na construção cai em fevereiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 23 de fevereiro de 2010 as 11:17, por: cdb

De janeiro para fevereiro, o Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado (INCC-M), que mede a inflação na construção civil, teve decréscimo na média de aumentos, passando de 0,52% para 0,35%.

Medido pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), o índice acumula alta de 3,49%, nos 12 meses fechados em fevereiro (resultado anualizado), e de 0,87% neste ano de 2010.

Segundo o Ibre, o resultado, reflete, principalmente, a queda no ritmo de correção dos salários no setor. Em janeiro, os gastos com pedreiros e outros profissionais em uma obra resultaram em alta inflacionária de 0,60%, enquanto em fevereiro, a taxa permaneceu em alta, mas com variação inferior ao mês passado (0,22%).

Em Belo Horizonte, a taxa passou de 5,44% para 0,90%, o que significa uma acomodação dos efeitos provocados pelo reajuste do salário mínimo, segundo a análise técnica da FGV. Os percentuais também foram menores em Recife e Porto Alegre, enquanto houve acréscimos ainda por conta do salário mínimo em Salvador, Brasília e São Paulo.

No segmento de materiais, equipamentos e serviços, houve ligeira elevação ( de 0,44% para (0,47%). No período subiram mais os materiais para acabamento ( de 0,14% para 0,73%) e também materiais para estrutura ( de 0,21% para 0,31%).Isoladamente, em serviços houve redução no ritmo de reajuste ( de 1,28% para 0,76%).