Rio tem ações de conscientização sobre perigos do tabagismo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 31 de maio de 2011 as 11:10, por: cdb

Da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Para lembrar o Dia Mundial sem Tabaco, comemorado hoje (31), a cidade do Rio de Janeiro recebeu diversas campanhas de alerta sobre os perigos do tabagismo. Na Cobal do Humaitá, na zona sul, o Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro (Iecac) promoveu ação social com o apoio de psicólogos, nutricionistas e médicos, que conversaram com o público e distribuíram materiais explicativos.

De acordo com o diretor do Iecac, Antônio Ribeiro, apesar de 37% dos fumantes terem se libertado do vício nos últimos 20 anos no Brasil, o número de jovens que se tornam dependentes ainda é grande. Segundo ele, o fumante que tem somente a vontade de largar o vício, em 80% das vezes volta a fumar. Com o tratamento adequado oferecido pelo instituto, é possível que o dependente pare em um mês.

“Um fumante leva de cinco a dez anos para perder a chance de ter um ataque cardíaco. Quem fuma tem 10 vezes mais chance de ter um câncer de pulmão, cinco vezes mais chance de ter um ataque cardíaco e enfisema pulmonar e duas vezes mais chance de ter um derrame cerebral. Esses números impressionam e as pessoas precisam saber disso para sair dessa posição de fumante”, alertou Ribeiro.

Além disso, a equipe pode fazer exames de medição de monóxido de carbono no pulmão, de pressão, teste de glicemia e de grau de dependência química. Só no Brasil ocorrem 200 mil mortes por ano em consequência de doenças relacionadas ao fumo. O diretor do instituto acredita que, para melhorar o índice, são necessárias mais ações de conscientização nas escolas e nas universidades.

A psicóloga Maria da Penha de Oliveira, de 54 anos, que era fumante há 32 anos, iniciou o tratamento em janeiro e já está há três meses sem fumar. “Estou muito feliz. Estou sentindo que minha saúde melhorou, voltei a respirar melhor. Há dez anos tenho vontade de parar e há cinco anos eu vinha lutando para isso. Dessa vez,  não volto mais a fumar”, afirmou.

Na Rodoviária Novo Rio, que movimenta em média 50 mil pessoas por dia, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) promoveu uma campanha para esclarecer e prestar orientações sobre como procurar apoio para deixar de fumar.

Um dos principais cartões-postais do país, o Cristo Redento  também abraçará a campanha antitabagismo. O monumento ganhará iluminação em vermelho para marcar a data, instituída em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a OMS, em todo o mundo, cerca de 5 milhões de pessoas morrem por ano em função do cigarro.

Edição: Graça Adjuto