Rio lança força-tarefa para combater ao Aedes aegypti

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 as 14:33, por: cdb

 

Os militares foram capacitados por técnicos da Secretaria de Saúde e darão apoio às equipes de agentes municipais que já participam do combate

 

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

O governo do Rio de Janeiro lançou nesta segunda-feira uma força-tarefa, composta por 800 homens do Corpo de Bombeiros, para intensificar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do zika vírus e da chikungunya. Os militares foram capacitados por técnicos da Secretaria de Saúde e darão apoio às equipes de agentes municipais que já participam do combate.

Rio lança força tarefa para combater ao mosquito Aedes aegypti
Rio lança força tarefa para combater ao mosquito Aedes aegypti

As ações serão feitas de segunda-feira a sábado. Os bombeiros estarão divididos em grupos e acompanhados por agentes de endemia. De acordo com o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, a soma de forças com os bombeiros é sinônimo de sucesso.

Pezão destacou a confiança que a população costuma ter nos militares como o diferencial para o sucesso da força-tarefa. “Quando enfrentamos aquelas fortes chuvas em Friburgo (em 2011), eu vi de perto o trabalho de qualidade que os bombeiros realizam. Não só eu, como toda a população. Por isso, e muitos outros exemplos, a população tem extrema confiança em nossa corporação. Vamos atacar em todo o estado e tenho certeza de que teremos sucesso nessa empreitada”, garantiu.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Ronaldo Alcântara, lembrou que mesmo que a entrada não seja permitida por algum morador, ela será feita. “A gente se apoia num decreto que permite a entrada. Primeiramente, esperamos o convite do dono. Se isso não acontecer, entraremos, caso haja necessidade, de acordo com as informações que o drone nos trará”. O drone fará um sobrevoo nas regiões que serão vistoriadas para identificar possíveis criadouros do mosquito. Os dados colhidos vão ajudar a orientar o trabalho dos agentes na área.

O governador do Rio comentou também notícias de que a Secretaria Estadual de Segurança cortaria este ano 32% de seu orçamento de R$ 7 bilhões, em decorrência da grave crise financeira que o estado atravessa. Pezão garantiu que nenhum programa será atingido com o que ele definiu como “planejamento de gastos”. O secretário de Segurança, José Maria Beltrame, havia declarado que não há mais onde cortar.

– O que fizemos não foi um corte no orçamento e sim um contingenciamento na folha. É normal pela situação que passamos. Está sendo muito difícil, mas temos que procurar alternativas. Entendo a preocupação do Beltrame, isso é normal. Estranho seria se um secretário não se preocupasse com essas questões. Eu também estou preocupado, mas é o cenário atual – disse.

Sobre o email enviado pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, ao Comitê Olímpico Internacional (COI), quanto a um “risco elevado” de a Linha 4 do metrô não ficar pronta para as Olimpíadas, o que comprometeria todo o plano de transportes traçado para os jogos, o governador garantiu que não houve problemas entre ele e o prefeito.

– De jeito nenhum. Nenhuma rusga com o Paes. Domingo mesmo nos encontramos por três horas, conversamos e debatemos bastante acerca dos problemas que temos. E essa integração entre todos os setores, essa união, é a receita do sucesso para a nossa caminhada. Não podemos e não vamos perder isso.

Luiz Fernando Pezão lamentou a saída do secretário de Transportes, Carlos Roberto Osório, após ele se filiar ao PSDB visando às eleições para prefeito. O governador disse estar confiante no substituto, o presidente da Superintendência de Desportos do Estado, Rodrigo Vieira. “Isso é um sonho dele (Osório) e quem sou eu para privar alguém de realizar seus sonhos? Lamento muito, pois ele sempre foi um grande colaborador. Fica a tristeza por perdê-lo, mas fica também a confiança na continuidade do trabalho com o Rodrigo Vieira, que é bastante capacitado”, afirmou.