Rio investe em novas unidades prisionais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de novembro de 2013 as 11:12, por: cdb
Com a inauguração de quatro cadeias, serão geradas mais de 2,2 mil vagas no sistema penitenciário
Com a inauguração de quatro cadeias, serão geradas mais de 2,2 mil vagas no sistema penitenciário

Primeiro estado brasileiro a adotar o fim das carceragens em delegacias de polícia, o Rio de Janeiro já investiu mais de R$ 120 milhões na inauguração e reforma de sete unidades prisionais, ampliando o número de vagas no sistema penitenciário em mais de 3 mil, nos últimos seis anos. A previsão é de que, até o fim de 2014, outras quatro novas cadeias públicas, com mais 2.250 mil vagas, sejam construídas. As novas unidades serão instaladas nas regiões  Centro-Sul, Serrana, Costa Verde e Baixadas Litorâneas.

O Grupo Executivo do Programa Delegacia Legal, órgão vinculado à Secretaria de Obras, em parceria com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), é responsável pelo investimento de cerca de R$ 116,5 milhões, na construção de cinco cadeias públicas já entregues em Bangu (2), Magé (1) e São Gonçalo (2), enquanto a Secretaria de Administração Penitenciária empregou mais de R$ 3,5 milhões na reforma e adaptação de antigas unidades.

– A geração de vagas é importante, tendo em vista o projeto do Governo do Estado de extinção das carceragens em delegacias – explicou o secretário de Administração Penitenciária, Cesar Rubens Monteiro.

As obras da cadeia de Resende, no Centro-Sul – que vai oferecer cerca de 450 vagas – já foram iniciadas. A construção da unidade é orçada em R$ 25 milhões. Em Carmo, na Serra, serão 600 novas vagas, em um investimento de R$ 21 milhões.

As unidades na Costa Verde e nas Baixadas Litorâneas, com previsão de 600 vagas cada, não têm área definida para implantação.

Outra iniciativa para modernizar o sistema penitenciário é a construção do primeiro Centro de Observação Criminológica (COC) do estado. Em licitação, o COC terá capacidade para 250 detentos. Destinado à triagem de internos, o centro permitirá a realização das avaliações técnicas e entrevistas nas áreas de direito, psicologia, saúde e social. Orçado em R$ 15 milhões, o CCO funcionará em Gericinó. Também será erguida uma unidade para detentos com idade entre 18 e 25 anos.

Projetos sociais beneficiam internos

A ressocialização de detentos por meio de projetos sociais é um dos destaques do sistema penitenciário fluminense. Ontem, a Fundação Santa Cabrini, em parceria com a Secretaria de Administração Penitenciária, premiou os internos que participaram dos concursos de Desenhos para Cartões de Natal e de Desenhos Artísticos. A iniciativa contou com a participação de 220 detentos de 12 unidades e contemplou os três primeiros colocados de cada modalidade com ventiladores e sanduicheiras.

Aumento da autoestima

Além de exercitar a criatividade, a detenta Kátia Almeida, de 38 anos, vai aproveitar a atividade para homenagear a família com os cartões confeccionados.

– Estou me expressando por meio da arte – disse Kátia.