Rio apresenta espetáculo de dança ‘Agora’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de outubro de 2015 as 15:15, por: cdb

Por Redação – do Rio de Janeiro:

O Rio de Janeiro apresenta coreografia Agora, dirigida por Ivana Menna Barreto que, com este trabalho, encerra jejum de cinco anos dedicados aos seus solos de dança. Agora começa a itinerar pela cidade, da Zona Norte a Zona Sul neste sábado, na Arena Carioca Dicró, na Penha. Exceto no Espaço Sesc, as apresentações são grátis nos demais espaços cênicos.

Investigando aspectos de pertencimento, além de refletir sobre questões da cidade, cinco intérpretes-criadores, todos profissionais do universo da dança, aceitaram o convite de Ivana Menna Barreto para responder a pergunta “A que lugar dessa cidade você sente pertencer?” e a partir daí fazer uma pesquisa de campo do lugar eleito para dar forma ao projeto. Agora conta com patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura através do Programa de Fomento à Cultura Carioca de 2014.

Agora investe na noção de pertencimento a partir do mapa particular de cada um sobre o Rio de Janeiro
Agora investe na noção de pertencimento a partir do mapa particular de cada um sobre o Rio de Janeiro

Neste mapeamento realizado a partir de rotineira observação, a angolana, radicada no Rio, Marilena Magdalena, retirou do Complexo da Maré suas referências. Natan Rodrigues uniu o Morro do São Carlos, onde nasceu, e o Rio Comprido, onde vive hoje. Diego Carvalho, capixaba radicado no Rio, se deteve em Ipanema, mais precisamente no Galeria Café, onde trabalha, enquanto Clara Anastácia e Danielle Rodrigues foram para o Morro da Conceição e a Lapa, respectivamente. Agora entra em cena com fotos e trilha sonora de João Penoni, imagens da videomaker Lana Lo Bianco, além de utilizar na narrativa elementos do boxe, treinamento dado aos artistas pela preparadora corporal Helena Vieira durante seis meses. A coreógrafa Cláudia Damásio respondeu pelas oficinas de sensibilização corporal.

 “Agora investe na noção de pertencimento a partir do mapa particular de cada um sobre o Rio de Janeiro. além de refletir questões como a tensão e a instabilidade da cidade. A memória do lugar na memória do corpo. Corpos negros, sons, cheiros e esquinas criam percursos de resistência na geopoética de uma cidade que se reconstroi. E ‘fala’ pelas paredes em frases impressas nos muros, como ‘A rua é tua. Fuck the future’. ‘Luta é um outro nome pra dança’. ‘Pastel, caldo de cana, yakisoba’. ‘Trago seu amor de volta’. Durante o processo de criação falamos sobre as corpografias de resistência, sobre o que cada um dos cinco lugares escolhidos significava em termos do convívio das pessoas, do que elas produziam juntas, e não propriamente como lugares indiciais da cidade maravilhosa. Então nossos mapas são percursos que incluem pessoas, trajetórias de pessoas. Por isso visitamos alguns lugares dos quais falamos, para mergulhar neles”, destaca Ivana Menna Barreto.

 Em sua trajetória de quase 30 anos de trabalho, a coreógrafa carioca Ivana Menna Barreto sempre uniu palavra à dança. Passou os últimos cinco anos desenvolvendo e apresentando os solos de dança Sem o que você não pode viver? e Meio sem fim, construídos a partir de entrevistas e observação de anônimos em ruas do Brasil e da Europa. Criadora e pesquisadora em dança, fundou em 1992 a Cia Movimento e Luz com o iluminador Fred Pinheiro, realizando com artistas colaboradores diversos espetáculos entre 1994 e 2005.

Iniciou uma pesquisa solo com Leia-me, 2006/2010. Em 2011 trabalhou em colaboração com o diretor Jefferson Miranda na criação do projeto Sem o que você não pode viver?, apresentado nos últimos 4 anos em vários espaços do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, João Pessoa, Salvador e Curitiba. Contemplada pelo Programa de Residências Institut Français/Cité Internationale des Arts para a criação do projeto Meio sem fim, apresentado com intervenções de artistas convidados no Rio de Janeiro e São Paulo.

 Ficha Técnica AGORA

Ivana Menna Barreto – Direção artística | Clara Anastácia – intérprete-criadora

 Danielle Rodrigues – intérprete-criadora | Diego Carvalho – intérprete-criador

 Marilena Magdalena – intérprete-criadora | Natan Rodrigues – intérprete-criador

 Fernando Canabrava – pilates solo | Helena Vieira – oficina de boxe | Cláudia

 Damásio – oficina de análise do movimento | Lana Lo Bianco – videomaker

 João Penoni – trilha sonora/fotógrafo | Daniel Kucera – programador visual

 Renato Machado – iluminador | João Werneck – operação de som | Tábatta Martins – operação de luz | Jean Machado –

 Assistência de produção | Cenotécnica – Beto de Almeida | Mônica Riani – assessora de

 Imprensa | Rodrigo Gerstner – coordenador administrativo | Camila Vidal – produtora executiva

Programação completa:

 Zona Sul

Terças e quartas-feiras, dias 6, 7, 13, 14, 20 e 21 de outubro – 20h

Espaço Sesc  / Sala Multiuso – Rua Domingos Ferreira, 160. Copacabana.

Tel: 21 2547-0156 | Ingressos: R$ 20 (inteira); R$ 10 (meia); R$ 5 (comerciários)

Lotação: 44 lugares | Classificação etária: 12 anos

 Zona Norte

Arena Carioca Jovelina Pérola Negra – 8 de outubro – 19h30 (quinta-feira)

Praça Ênio, s/nº – Pavuna. GRÁTIS | Tel: (21) 2886-3889

 Centro de Artes da Maré – 10 de outubro – 18h (sábado)

Rua Sgr. Silva Nunes, 1008. Maré. GRÁTIS | Tel. (21) 3105-8421

 Arena Carioca Fernando Torres – 23 outubro – 20h (sexta-feira)

Endereço: Rua Soares Caldeira, 115 – Parque Madureira. GRÁTIS

Tel: (21) 3495-3093

 Serviço:

 Agora – Direção artística: Ivana Menna Barreto. Com os intérpretes-criadores Clara Anastácia, Danielle Rodrigues, Diego Carvalho, Marilena Magdalena, Natan Rodrigues. Estreia dia 3 de outubro na Arena Carioca Dicró, na Pavuna.

Sinopse: Espetáculo coreográfico que investiga como o corpo se relaciona com a cidade a partir da experiência e pesquisa realizada pelos intérpretes-criadores na Maré, Lapa, Pedra do Sal, Ipanema e Rio Comprido.

Arena Carioca Dicró – Parque Ary Barroso, s/n. Penha. Tel. 21 3486.7643 grátis – 20h