Rio anuncia construção de duas cadeias públicas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de janeiro de 2013 as 10:30, por: cdb
As unidades vão atender jovens adultos, no complexo de Gericinó, e mulheres, na Colônia Agrícola de Magé
As unidades vão atender jovens adultos, no complexo de Gericinó, e mulheres, na Colônia Agrícola de Magé

O Governo do Estado anunciou que irá construir duas novas cadeias públicas. As unidades vão atender jovens adultos, no complexo de Gericinó, e mulheres, na Colônia Agrícola de Magé. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, já aprovou os projetos do Grupo Executivo do programa Delegacia Legal, vinculado à Secretaria de Obras. A conclusão está prevista para o primeiro trimestre de 2014.

– Estas cadeias públicas terão áreas para atendimento médico, odontológico, ambulatorial e psicológico. Também terão espaço próprio para sala de aula, cultos ecumênicos e outro para reciclagem de garrafas pets e quentinhas. Além  disso, será instalada uma ampla área coberta para visitantes – disse o coordenador do programa Delegacia Legal, César Campos.

A construção da cadeia para jovens adultos vai atender a demanda de detentos entre 18 e 24 anos. A unidade poderá receber atá 504 presos, distribuídos em 84 celas coletivas, além de 30 individuais.

– O projeto visa promover a reintegração social e minimizar a reincidência criminal destes jovens, que estão em uma faixa etária de grandes chances de regeneração e potencial de aprendizado – explicou Campos. Já a cadeia feminina terá 690 vagas, distribuídas em 87 celas coletivas, além de 24 de isolamento. A área total  construída será de 7 mil m2.

Mais espaço para detentos em São Gonçalo

Desde o início do programa Delegacia Legal foram construídas 14 cadeias públicas em todo o Estado: Rio de Janeiro (8), Magé (2), Campos, Itaperuna, Volta Redonda e Japeri. Em agosto de 2010, foram inauguradas duas cadeias no Complexo de Gericinó: Bandeira Stampa e José Ferreira Marques. Em junho de 2012, foi a vez da Cadeia Pública Hélio Gomes, no Complexo Penitenciário de Magé.

Além disso, estão em fase final as obras de duas cadeias em São Gonçalo, com investimento total de 50,1 milhões. Cada unidade terá capacidade para 597 detentos. As duas têm previsão de conclusão para o primeiro trimestre deste ano. Em seguida, serão montadas e equipadas pela Secretaria de Administração Penitenciária.

– O Estado cumpriu a importante meta de esvaziar todas as carceragens de delegacias policiais do Estado do Rio. A retirada dos presos libera os policiais civis para atuar exclusivamente nas atividades de investigação e atendimento à população – afirmou Campos.