Rio 2016: IAAF mantém suspensão contra Rússia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 17 de junho de 2016 as 13:58, por: cdb

Comentando a decisão da IAAF sobre o afastamento de atletas russos, o Ministério do Esporte do país se pronunciou muito decepcionado por esse passo da organização

Por Redação, com agências internacionais – Moscou/Rio de Janeiro:

A Federação Russa de Atletismo confirmou nesta sexta-feira que a suspensão imposta contra o país pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) foi mantida, de acordo com a agência de notícias Tass.

Com a manutenção da suspensão, a Rússia deve ficar de fora das provas de atletismo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto
Com a manutenção da suspensão, a Rússia deve ficar de fora das provas de atletismo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto

Segundo a agência, o ministro dos Esportes da Rússia, Vitaly Mutko, afirmou que a decisão da IAAF de manter a suspensão ao atletismo russo já era esperada, e que a Rússia definitivamente irá reagir à decisão.

Com a manutenção da suspensão, a Rússia deve ficar de fora das provas de atletismo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, em agosto.

– A IAAF (Associação Internacional de Federações Atléticas) não irá levantar a suspensão dos atletas russos antes do Rio 2016 porque eles falharam a corresponder aos critérios da força-tarefa, se compreende – diz o tuíte.

Comentando a decisão da IAAF sobre o afastamento de atletas russos, o Ministério do Esporte do país se pronunciou muito decepcionado por esse passo da organização.

– A votação do conselho da IAAF criou uma situação sem precedentes, impossibilitando os atletas russos da participação dos Jogos Olímpicos de 2016. O sonho de muitos atletas do nosso país foi arruinado pelo comportamento errado de esportistas, treinadores e especialistas específicos – diz o comunicado do Ministério.

– A parte russa fez todo o possível para recuperar a confiança da comunidade esportiva internacional nos nossos atletas, o que pode ser comprovado já pelo fato de o material biológico de nossos atletas passar pelo exame da Agência Antidoping Britânica (UKADA) – conclui o documento.

Aplicativo sobre Estado Islâmico

Equipes de inteligência que atuam próximas ao plano de segurança dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro detectaram a abertura de uma conta em português em um aplicativo de mensagens para a troca de informações sobre o Estado Islâmico, confirmou na quinta-feira a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

A Abin, no entanto, não deu detalhes sobre o eventual monitoramento dos usuários da conta no Telegram.

– Entendemos que a abertura de uma conta pode ser a abertura de uma porta para que brasileiros sejam radicalizados – disse uma fonte próxima ao assunto.

A suspeita de autoridades é que a conta poderia ser usada para recrutar algum brasileiro para atuar em nome do grupo no país. A partir de 5 de agosto, o Rio de Janeiro vai sediar os Jogos Olímpicos e a cerimônia de abertura deve reunir cerca de 100 chefes de Estado.

– Não há risco (de ataque) – afirmou à agência inglesa de notícias Reuters o superintendente regional da Abin no Rio de Janeiro, Frank Oliveira.

O SITE, grupo que monitora ameaças de grupos militantes islâmicos na Internet, disse em 7 de junho que simpatizantes do Estado Islâmico divulgaram mensagens no aplicativo Telegram pedindo que pessoas que falam português se juntassem a uma “equipe de tradutores”.

Não foi a primeira vez que a Abin revelou uma possível ameaça ao Brasil envolvendo o Estado Islâmico, grupo radical que tem realizado atentados e assumiu responsabilidade pelos ataques do ano passado em Paris, que deixaram 130 mortos. Em abril, a agência disse ter detectado a autenticidade de um perfil do Twitter em que o francês Maxime Hauchard, integrante do Estado Islâmico, afirma que o Brasil seria o próximo alvo.

O secretário de Segurança do Estado do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, condenou o vazamento desse tipo de informação, porque causaria um alarde desnecessário.

– Eu não recebi essa informação e se Abin falou que recebeu, ela que tem que esclarecer à população brasileira. Essas coisas a gente não fala, antecipa a possibilidade alguma coisa vir a acontecer – afirmou Beltrame em entrevista coletiva na quinta-feira.

O plano de segurança para a Olimpíada envolve cerca de 85 mil homens de diversas forças, incluindo 9 mil agentes da Força Nacional de Segurança para atuar nas arenas e instalações olímpicas, mas o Estado do Rio não está seguro de que terá à disposição todo o efetivo prometido da Força Nacional.

O governo do Rio espera receber em breve um sinal positivo para que militares das Força Armadas possam atuar no patrulhamento de vias expressas durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos. A demanda feita pelo Estado é para que sejam liberados entre 2 mil e 3 mil militares.

Ameaça na reserva

A Secretaria de Segurança e o Corpo de Bombeiros começaram a investigar a veracidade de áudios que vazaram em redes sociais nos quais supostos bombeiros militares da reserva ameaçam medidas de impacto e bloqueio de ruas e avenidas durante a Olimpíada.

A revolta é com o atraso no pagamento de salários dos servidores da ativa e inativos do Estado, incluindo militares. O Estado do Rio vive uma das maiores crises financeiras da história e frequentemente vem mudando, atrasando e até parcelando o pagamento de salários e benefícios.

O superintendente extraordinário para grandes eventos da Secretaria Estadual da Defesa Civil, Wanius Amorim, afirmou que os militares da reserva podem ser punidos se confirmadas as ameaças.

– As penas podem ser administrativas ou as previstas em lei – declarou Amorim a jornalistas.