Rio 2016: Brasil garante vaga na final no vôlei masculino

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 20 de agosto de 2016 as 09:32, por: cdb

Com o apoio da torcida, a seleção do técnico Bernardinho não deu chances à Rússia e devolveu a derrota na final olímpica de Londres, há quatro anos

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro:

 

De quase eliminada na primeira fase à final olímpica. Após superar lesões de personagens importantes do time, como o ponta Lucarelli, a seleção brasileira masculina de vôlei atropelou o forte time da Rússia, por 3 a 0, e volta pela quarta vez a disputar o ouro.

Com o apoio da torcida, a seleção do técnico Bernardinho não deu chances à Rússia
Com o apoio da torcida, a seleção do técnico Bernardinho não deu chances à Rússia

Com o apoio da torcida, a seleção do técnico Bernardinho não deu chances à Rússia e devolveu a derrota na final olímpica de Londres, há quatro anos. Em 1 hora e 23 minutos de jogo, o Brasil ganhou o primeiro set por 25 a 21, o segundo por 25 a 20 e o terceiro por 25 a 17.

Wallace foi decisivo e Lucarelli, mesmo ainda se recuperando, foi importante na recepção. Lipe, que superou uma contração muscular na lombar, fez uma excelente partida.

Com a vitória sobre a Rússia, o lídero Serginho, mais experiente e líder da equipe, disputa agora sua quarta final olímpica, contra a Itália, no domingo, às 13h15.

Alemanha vence Suécia e leva ouro

Algoz das brasileiras e norte-americanas, favoritas ao ouro olímpico, as suecas não conseguiram na sexta-feia, na final olímpica, repetir a estratégia de jogar na defesa para levar o jogo para os pênaltis. Perderam o ouro do futebol femino para as alemãs, que venceram  por 2 a 1. Sem correr risco e maior posse de bola, a Alemanha conseguiu superar as adversárias para conquistar, pela primeira vez, a medalha olímpica de ouro.

Depois de um primeiro tempo sem muitas chances claras, as alemãs conseguiram furar o bloqueio da Suécia aos três minutos do segundo tempo, com Dzsenifer Marozsan. Aos 17, a Alemanha ampliou com um gol contra de Linda Sembrant.

Com o placar adverso, a Suécia abdicou de apenas se defender e partiu para o ataque. Aos 22 minutos da segunda etapa conseguiu diminuir a diferença com o gol de Stina Blackstenius. Mas a reação não foi suficiente. As alemãs conseguiram controlar o jogo até o final e ficaram com o ouro.

Mais cedo, o Canadá venceu a seleção brasileira também por 2 a 1 e conquistou, pela segunda vez consecutiva, a medalha de bronze.