Rice diz que já é tempo para a paz no Oriente Médio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de fevereiro de 2005 as 19:17, por: cdb

A secretária de Estado norte-americana, Condoleezza Rice, iniciou uma visita a Israel e aos territórios palestinos neste domingo prometendo compromisso renovado dos Estados Unidos com o processo de paz no Oriente Médio, que terá um novo capítulo com uma reunião de cúpula nesta semana.

– Eu quero especialmente trazer o compromisso pessoal do presidente George W. Bush e o meu próprio compromisso pessoal para esse processo, porque esse é um tempo de oportunidade, um tempo que devemos aproveitar – disse Rice à imprensa, no Ministério do Exterior de Israel.

Ela chegou a Israel dois dias antes do encontro do premiê israelense, Ariel Sharon, com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, no Egito. Rice afirmou que Israel precisa tomar “decisões difíceis” pela paz e que os palestinos devem lançar uma “uma luta eficaz contra o terrorismo.”

Criticado pelo pouco envolvimento no conflito do Oriente Médio em seu primeiro mandato, o presidente Bush enviou Rice à região para enfatizar a sua promessa de forçar um fim para os confrontos.

Com os dois lados prestes a embarcar em uma nova rodada de negociações, a missão de Rice parece menos um exercício de pressão e mais uma afirmação da mudança após a morte do líder Yasser Arafat, visto pelos Estados Unidos e por Israel como um obstáculo para a paz.
Ela elogiou a nova liderança palestina, que:

– Expressou o seu desejo de um futuro pacífico com Israel – e o plano de Sharon de se retirar de Gaza. Rice afirmou que agora parece possível voltar à chamada rota para a paz, plano norte-americano para pôr fim a violência na região.

Reunida com Sharon, a secretária afirmou aos jornalistas que procuraria avançar com a paz, “ao mesmo tempo em que trabalha com Israel para acabar com o flagelo do terrorismo”. Rice também pressionou Irasel a fazer gestos de boa vontade em relação aos palestinos.

– Esse é um tempo de esperança, mas também é um tempo de grande responsabilidade para todos nós garantirmos que agimos da maneira que falamos – afirmou ela, ao lado de Sharon.

O premiê disse esperar de Rice a ajuda para que:

– O processo de paz que queremos avance na região.”

A secretária não irá a reunião de cúpula em Sharm el-Sheikh, resort do mar Vermelho, no Egito. Com isso, ela sinaliza que prefere ver Sharon e Abbas conquistarem avanços nas negociações com a menor mediação estrangeira possível.

Uma crise política foi evitada neste domingo quando negociadores da reunião de cúpula nomearam uma comissão conjunta dos dois lados para rever o grupo de prisioneiros que Israel pretende libertar como um gesto de boa vontade em relação aos palestinos.

Israel não tem mostrado disposição de incluir presos por ataques com morte entre os 900 palestinos que pretende libertar. Abbas está sob pressão interna para garantir a liberdade de 8 mil prisioneiros.