Revitalização geral do Parque da Lajinha tem início com limpeza e demarcação de terrenos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 4 de abril de 2012 as 08:58, por: cdb

JUIZ DE FORA – 4/4/2012 – 11:51

Revitalização geral do Parque da Lajinha tem início com limpeza e demarcação de terrenos

As obras de revitalização das estruturas do Parque da Lajinha tiveram início esta semana com limpeza do terreno e demarcação, por meio de tapumes, das novas edificações, como o quiosque e o pergolado, que servirá para atrair borboletas. Todo o serviço, que terá um custo R$ 1,1 milhão, deverá estar totalmente concluído no mês de setembro. Assim, o Parque está fechado à visitação, estando em funcionamento apenas o campo de futebol.

Segundo o prefeito Custódio Mattos, a ideia é transformar o local em um parque para a família. “Juiz de Fora é carente de espaços públicos livres. O Parque da Lajinha é, praticamente, o único lugar na cidade para cumprir este papel.” O superintendente da Agência de Gestão Ambiental de Juiz de Fora (Agenda JF), Aristóteles Faria, afirma que o parque está há 30 anos nos mesmos moldes. “É a primeira vez que ele será mudado desde quando foi criado pelo ex-prefeito Mello Reis”, enfatizou.

Em busca de mudar o conceito do parque, o projeto de revitalização vai dotar o local de infraestrutura adequada para educação ambiental e lazer. A obra inclui, ainda, a implantação de internet sem fio gratuita em todo o complexo. O projeto de revitalização do parque está calcado em três pilares: educação ambiental, conscientização ecológica e lazer. O objetivo é implementar o projeto de urbanização, paisagismo e infraestrutura; desenvolver atividades no local que promovam a sensibilização e a conscientização ambiental do público, além de desenvolver atividades com fins didático-científicos.

Todo o complexo será composto por Ecoteca (biblioteca ecológica), cujo acervo contará inicialmente com cerca de mil itens; Sala Verde, que consistirá num espaço socioambiental que atuará como potencial Centro de Informação e Formação Ambiental; Arvorismo, que permitirá o uso de passarelas para se percorrer o ambiente das copas; Viveiro, que consistirá num conjunto de benfeitorias e utensílios, no qual serão empregadas técnicas para possibilitar a produção eficaz de mudas; Orquidário, para cultivo das orquídeas nativas, raras e ameaçadas, e que servirá também como centro de pesquisa, disseminador de informações, cultura e atração turística para a cidade; e um Borboletário, espaço para conscientizar as pessoas a respeito da conservação dos ecossistemas e o respeito pela nossa biodiversidade.

Outras obras estão previstas no projeto, como reflorestamento de algumas áreas, a construção de uma lanchonete; revitalização das trilhas; construção de ponte em arco, colocação de fontes no local; área de lazer para crianças e para eventos, pergolado de madeira, entre outros. O parque receberá gramados de várias tonalidades de verde e mais de 40 espécies de árvores, incluindo frutíferas como jabuticabeira, amoreira e pitangueira.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Agenda JF, pelo telefone 3690-8341.
AGENDAJF