Reunião entre Aznar e Bush foca nova resolução da ONU sobre crise

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 23 de fevereiro de 2003 as 18:03, por: cdb

A obtenção de uma nova resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas sobre a crise do Iraque, “com o maior consenso possível”, foi um dos principais assuntos abordados pelo chefe do Governo espanhol, José María Aznar, em sua reunião com o presidente americano, George W. Bush.

Assim revelou o presidente do Governo espanhol em uma entrevista exclusiva à EFE, ao especificar que ambos os governantes também abordaram o Oriente Médio, em particular, o conflito palestino-israelense.

Aznar, que hoje, domingo, chegou a Madri, depois da viagem que o levou ao México e, nos dois últimos dias, ao rancho do presidente americano no Texas, disse que a questão iraquiana será tratada com “extraordinária firmeza” e com um “aumento muito forte da pressão”.

Aznar acrescentou que o objetivo é alcançar uma resolução pacífica para a crise, mas que não descartem medidas de força se o líder iraquiano, Saddam Hussein, continuar sem cooperar plenamente com as Nações Unidas.

O presidente do Governo espanhol disse que ainda não há um cronograma preciso sobre os próximos passos diplomáticos, embora admita que as datas prováveis sejam as já sugeridas por diversos meios de comunicação, que prevêem uma reunião do Conselho de Segurança para 10 de março.

“Queremos uma resolução ampla”, disse José María Aznar, que está certo de que será possível chegar a um acordo, semelhante ao alcançado nos últimos dias na União Européia (UE) e na Otan.

Sobre o conflito palestino-israelense, o chefe do Executivo espanhol afirmou que “estamos preparados para ações fortes e urgentes” e que há “planos para colocá-las em práticas” que serão divulgados nos próximas dias.

Tais medidas, adiantou, incluem a constituição de um Estado palestino, com líderes renovados, seguindo uma lógica de paz geral que garanta fronteiras seguras a Israel, com aplicação das resoluções das Nações Unidas.

O presidente do Governo espanhol manifestou sua confiança de que a França irá aderir ao acordo geral e também ressaltou sua expectativa de que a solução da crise iraquiana possibilitará uma recuperação econômica mundial, “rápida e sólida”.

Além disso, José María Aznar destacou a colaboração dos Estados Unidos e da França na luta contra o terrorismo, que a Espanha sofre há longo tempo e, ante a qual, a opinião pública está especialmente sensibilizada.