Republicanos Perry e Romney se preparam para longa batalha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de setembro de 2011 as 18:39, por: cdb

Republicanos Perry e Romney se preparam para longa batalha

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) – Após meses de uma disputa que demorou para pegar fogo, Rick Perry e Mitt Romney estão agora envolvidos na briga pela indicação do Partido Republicano à Casa Branca, e ambos preveem que isso irá se prolongar até 2012.

A previsão é de que os primeiros Estados a participarem da escolha irão se dividir, de modo que nem Perry nem Romney conseguirão nocautear o adversário logo de cara. Perry, governador do Texas, é o favorito do movimento conservador Tea Party, enquanto Romney, ex-governador de Massachusetts, é preferido pela cúpula republicana.

Num claro sinal de que os dois se preparam para uma disputa prolongada, ambos discursarão brevemente em Indiana, Estado que geralmente é deixado em segundo plano pelos pré-candidatos a presidente dos EUA. Os republicanos de Indiana só farão sua eleição primária em 8 de maio, mas Romney estará lá na sexta-feira, e Perry irá em 12 de outubro.

“Parece que os candidatos estão deslocando pelo menos parte do seu foco para a campanha nacional, em vez de apenas nos Estados que fazem as primárias antes”, disse Pete Seat, porta-voz do Partido Republicano de Indiana.

Um confronto tão prolongado nas eleições primárias — a exemplo do que ocorreu entre os democratas Barack Obama e Hillary Clinton em 2008 — representa ao mesmo tempo uma oportunidade e um risco.

Para o vitorioso, é uma chance de afinar o desempenho e estabelecer comitês de campanha em todo o país, mesmo antes da formalização da candidatura. Por outro lado, mantém o vencedor ocupado no combate aos rivais internos, num período em que ele já poderia estar voltando suas baterias contra Obama, visto como um candidato vulnerável à reeleição.

“Quanto mais dura a disputa das primárias, mais profunda a luta e o foco nas discordâncias dentro do Partido Republicano, ao invés da unidade a respeito do resultado desejado para a eleição geral”, disse Steve Schmidt, que coordenou a campanha presidencial do republicano John McCain em 2008.

A natureza acirrada da disputa também faz com que a busca por apoios e doações seja cruciais. Tanto Perry quanto Romney tentam provar que são o candidato com maiores chances de derrotar Obama na eleição geral de novembro de 2012.

O processo de escolha do candidato republicano começa em 6 de fevereiro, no “caucus” (assembleias eleitorais) de Iowa. Logo em seguida, New Hampshire realiza sua eleição primária.

Uma pesquisa USA Today/Gallup publicada nesta semana mostra Perry à frente, com 31 por cento das intenções de voto, e 24 por cento para Romney. Perry é mais forte entre os republicanos e os independentes que se inclinam por esse partido, eleitorados cruciais no processo da indicação partidária. Romney tende a ir melhor entre os eleitores sem voto fixo, que habitualmente são decisivos na etapa da eleição geral.

Reuters