Republicanos descontentes com Trump fazem campanha para Hillary

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 4 de agosto de 2016 as 12:14, por: cdb

Doadores importantes de Wall Street podem fazer a diferença para Hillary injetando dinheiro na campanha e induzindo republicanos moderados a mudar de lado

Por Redação, com Reuters – de Nova York/Washington:

 

Grupos de republicanos ricos descontentes com Donald Trump vêm cortejando colegas proeminentes em particular para convencê-los a apoiar a candidata presidencial democrata Hillary Clinton, disseram à Reuters várias pessoas envolvidas na iniciativa.

Candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton
Candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton

Elas contam que estão pedindo dinheiro e apoio de correligionários desiludidos com Trump, o candidato de seu partido para a eleição de 8 de novembro. Algumas foram incentivadas por Hillary e por membros de sua equipe de campanha.

– Tomei a decisão de que não seria capaz de olhar para meus netos se votasse em Trump – disse Dan Webb, um ex-promotor federal e autodeclarado “republicano há décadas” que vem atuando para conquistar empresários republicanos de destaque em Chicago.

Trump, magnata de Nova York do setor imobiliário que disputa seu primeiro cargo público, vem incomodando doadores republicanos tradicionais com seus comentários incendiários sobre mulheres, mexicanos, muçulmanos e veteranos de guerra, entre outros.

Doadores importantes de Wall Street podem fazer a diferença para Hillary injetando dinheiro na campanha e induzindo republicanos moderados a mudar de lado, e seu apoio à ex-primeira-dama confronta a alegação de Trump de que seus sucessos nos negócios o tornam um candidato a presidente melhor.

Campanha de Hillary

A campanha de Hillary Clinton, candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, solicitou orientação de reguladores da Califórnia sobre como reformular regulações federais que exigem que biocombustíveis como etanol à base de milho sejam misturados no abastecimento de gasolina do país, de acordo com oficias da campanha e do Estado.

A medida é o sinal mais claro até o momento de que, se eleita, Hillary buscará fazer ajustes à regulação, chamada de Renewable Fuel Standard (RFS), possivelmente minando suas chances em Estados produtores de milho como o Iowa, onde ela enfrenta uma batalha dura contra o rival republicano Donald Trump nas eleições de 8 de novembro.

O Renewable Fuel Standard, criado pelo Congresso em 2005, exige que combustíveis de transporte vendidos nos EUA contenham um volume mínimo de combustíveis renováveis.

A regulação foi criada para reduzir a emissão de gases estufa e expandir o setor de combustíveis renováveis dos EUA ao mesmo tempo que reduziria a necessidade da importação de petróleo.

Consultores de Hillary contataram o Conselho de Recursos de Ar da Califórnia (CARB, na sigla em inglês) para discutir se uma diretriz como a Low Carbon Fuel Standard da Califórnia, um sistema baseado no mercado ao invés de uma exigência, poderia ser aplicada nacionalmente para substituir ou melhorar o RFS, disseram oficiais do CARB.