Relatório vai definir apoio à proposta de aposentadoria integral

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 10 de julho de 2003 as 20:05, por: cdb

Os líderes da base aliada esperam receber nesta sexta-feira, do ministro da Previdência, Ricardo Berzoini, o balanço com o impacto da proposta de manutenção da integralidade das aposentadorias feita pelo Poder Judiciário para os futuros servidores públicos.

Segundo o vice-líder do governo na Câmara, deputado Professor Luizinho (PT/SP), os números são fundamentais para sedimentar o apoio da base à proposta, assim como o apoio dos governadores.

 – A proposta tem boa aceitação, mas faltam os números para os servidores que entrarem na carreira depois da aprovação da reforma – disse.

Nas conversas dessa quarta com a base aliada, Berzoini revelou que a mudança geraria, nos primeiros anos após a aprovação da reforma, uma economia maior que a prevista pela PEC 40 que tramita no Congresso Nacional. A economia prevista pelo texto original do governo era de R$ 16,5 bilhões de 2004 a 2010.

Com a manutenção da integralidade, mediante as regras sugeridas pelos juízes, a economia subiria para R$ 17,2 bilhões. Após este período, até o ano de 2013, a perda seria de R$ 29,9 bilhões, o que significaria cerca de R$ 1,5 bilhão por ano. A perda é considerada residual e não preocupa o governo.

– Com a mudança, dá uma diferença que não é considerada problema porque é diluída em muitos anos – afirmou Luizinho.