Relatório isenta Polícia Legislativa de suspeita de espionagem contra senador

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de dezembro de 2007 as 21:53, por: cdb

O presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), leu nesta terça-feira em plenário o relatório da Polícia Legislativa da Casa sobre a denúncia de que o órgão teria contratado detetives para investigar a situação financeira do senador Marconi Perillo (PSDB-GO). O relatório isenta a Polícia Legislativa de culpa.

O corregedor senador Romeu Tuma (PTB-SP) pediu cópia do relatório para anexar às investigações que tem feito sobre o assunto.

Documentos da Polícia Civil de Goiás confirmariam o envolvimento da polícia do Senado nesta suposta espionagem.

Foi a segunda vez que o nome de Perillo aparece em denúncias de espionagem. Em novembro, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) denunciou que o dono de um hangar em Goiânia teria sido procurado por um assessor da Presidência do Senado na gestão de Renan Calheiros (PMDB-AL) para instalar câmeras de vigilância no local. O objetivo, de acordo com o senador, seria o de flagrar Demóstenes e Marconi Perillo em supostas atividades ilegais.

A denúncia gerou uma representação contra Renan Calheiros por quebra de decoro parlamentar. A representação foi arquivada na semana passada pelo Conselho de Ética do Senado, sob a alegação de inépcia e falta de provas.