Relatório da PF sobre escândalo do Propinoduto indicia 31 pessoas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de maio de 2003 as 10:02, por: cdb

O juiz da 3º Vara Criminal, Lafredo Lisbôa, recebe nesta quarta-feira, das mãos do delegado da PF Marcos David Salem, o relatório com o resultado do inquérito que apurou as denúncias sobre o escândalo do Propinoduto. O relatório, que indicia 31 pessoas, será analisado pelo MP que terá cinco dias para apresentar a denúncia.

O documento, que contém 10 volumes e 42 peças anexadas, explica detalhadamente o funcionamento do esquema que desviou do Estado do Rio de Janeiro um total de US$33,4, depositados na Suiça nas contas de fiscais da Secretaria de Fazenda do estado.

A participação de cada um dos servidores envolvidos no escândalo são capítulos separados. O relatório ainda detalha os depoimentos da ex-mulher do fiscal Carlos Eduardo Pereira Ramos, Valéria Gonçalves dos Santos, e do doleiro preso no Rio Grande do Sul Amilton Fernandes Broze – que deu informações sobre o esquema de lavagem de dinheiro que teria sido usado no Propinoduto.

A Coplac Consultoria Planejamento e Promoções, representante do banco Discount Bank and Trust Company no Brasil, os empresários do jogador de futebol Ronaldo, Reinaldo Pitta e Alexandre Martins, o Caso Light e o ex-subsecretário de Fazenda Geraldo Moreira Barbosa, representante da offshore Villa de Monte, também têm destaque.

Anexos às conclusões do relatório, estão o documento entregue pelo corregedor-geral da Receita Federal, José Moacir Leão, e um laudo do Setor de Criminalística da PF que mostra incompatibilidade entre a rendas dos oito presos no Ponto Zero e o valor que consta em suas contas na Suíça. O delegado adiantou que vai sugerir ao MP Federal abertura de inquéritos-filhotes para apurar questões não esclarecidas.

Além dos oito encarcerados, mais quatro pessoas envolvidas no escândalo podem ser presas nos próximos dias. O MP pode pedir a detenção de Martins e Pitta, e dos sócios da Coplac, Ronaldo Adler e Herry Rosemberg.