Reitoria da USP e Justiça paulista mantêm pedido de desocupação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de maio de 2007 as 22:00, por: cdb

Após a reunião com estudantes e funcionários da Universidade de São Paulo (USP), o secretário de Justiça do estado, Luiz Marrey, disse nesta segunda-feira que o governo estadual quer a desocupação da Reitoria e que “o uso da força num regime democrático para cumprir uma ordem judicial é algo normal, mas gostaríamos de evitar”. Perguntado sobre a data de cumprimento do mandado de reintegração de posse, Marrey respondeu que não há prazo definido.

De acordo com a reitora da USP, Suely Vilela, o pedido de reintegração de posse foi realizado pela Reitoria pois “o avanço nas reivindicações depende exatamente da desocupação da Reitoria para que se possa fazer isso num ambiente de não-pressão. Tudo está condicionado”.

 Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp), o único avanço da reunião é a possibilidade anunciada hoje de reformulação dos decretos do governador José Serra.
 
Uma nova questão também discutida nesta segunda é a possível inconstitucionalidade dos decretos do governador José Serra. Desde domingo, a ocupação publicou na internet um artigo em que argumenta que há pontos inconstitucionais nos decretos estaduais. Para o secretário de Justiça, essa questão deve ser debatida de outra forma.
 
– Não basta elencar vinte pontos de inconstitucionalidade e não ingressar em juízo (…). Se eles estão dizendo que é inconstitucional, ingressem com uma ação popular e deixem o poder judiciário decidir -, disse Marrey.

 À noite, o movimento se reúne em frente à reitoria ocupada para nova assembléia, que discutirá o encontro desta segunda. Uma nova reunião será marcada para esta semana entre estudantes, funcionários e governo estadual. Ainda não há data definida, que depende da agenda de Marrey.

Na próxima quinta-feira deverá ocorrer uma passeata com estudantes e funcionários das três universidades paulistas (USP, Unicamp e Unesp) que seguirá da universidade até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.