Regime especial de licitação para copa divide debatedores

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de junho de 2011 as 15:55, por: cdb

O Regime Diferenciado de Contratação (RDC) proposto pelo governo para agilizar as obras da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016 dividiu opiniões no 2º Seminário Nacional de Fiscalização e Controle de Recursos Públicos, realizado pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle.

O RDC foi defendido pelo deputado Alexandre Santos (PMDB-RJ). “Ele já vem com atraso. Precisamos superar os gargalos”, disse. O deputado Nelson Bornier (PMDB-RJ) concordou. Segundo ele, é preciso dar credibilidade a quem executa a obra. “O Brasil não pode deixar de realizar a Copa e as Olimpíadas. Estou certo de que vamos chegar a um dominador comum.”

Já o deputado Carlos Brandão (PSDB-MA) se disse preocupado com a possibilidade da mudança favorecer o desvio de recursos pelas empreiteiras. O deputado Delegado Waldir (PSDB-GO) também criticou a proposta e disse que, nesse caso, a melhor solução é “privatizar tudo”.

O regime especial foi questionado ainda pelo consultor da Comissão Mista de Orçamento Romiro Ribeiro. “Se ele é bom, por que limitar à Copa e não estender a todas as obras?”.

O seminário foi encerrado há pouco.

Tempo real:17:41 – Oito estádios da Copa estarão prontos até o fim de 2012, diz ministério16:42 – Secretário do TCU apoia mudança em regra para paralisar obras13:24 – Deputados questionam capacidade de fiscalização do poder público11:52 – AGU: 60% dos réus em processos de desvios de recursos são prefeitos11:32 – CGU quer acesso a dados sigilosos para fiscalizar recursos públicos11:18 – Dirigentes de órgãos públicos defendem integração para combater desviosReportagem – Luiz Claudio Pinheiro
Edição – Daniella Cronemberger