Regime cubano reafirma intenção de não ceder a chantagens capitalistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de abril de 2010 as 10:27, por: cdb

Presidente de Cuba, Raúl Castro disse, na noite deste domingo, que seu país não será responsável pela possível morte de prisioneiros em greve de fome e não cederá diante de “chantagens” de seus inimigos. Castro referia-se a Guillermo Fariñas, debilitado depois de 40 dias em greve de fome para exigir a libertação de 26 presos.

– Está se fazendo o possível para salvar sua vida. Mas se não mudar sua atitude autodestrutiva, será responsável, junto com seus patrocinadores, pelo desenlace que também não desejamos – disse Castro durante um congresso da União de Jovens Comunistas.

O presidente cubano ressaltou que Fariñas é um deliquente comum que está sendo instigado pelos Estados Unidos e algumas nações da União Europeia. Ele acrescentou que esses mesmos “centros de poder imperial” são os que incentivaram a greve de fome que levou à morte de Orlando Zapata em fevereiro.

A morte de Zapata e a greve de Fariñas deterioraram as relações da ilha com a administração do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e com a Europa. Uma reunião com a União Europeia programada para esta semana foi suspensa.