Região peruana vai processar Nasa por afastar turistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de abril de 2003 as 15:38, por: cdb

A região de Ancash, nos Andes peruanos, prepara um processo judicial no qual pedirá indenização de milhões de dólares à Nasa por afastar os turistas do local. A agência espacial norte-americana disse em seu site que é provável que ocorra um deslizamento de lama que deverá destruir parte da principal cidade daquela área, com 60 mil habitantes.

– De acordo com a Defesa Civil, a Nasa corrigiu a informação, mas o dano causado ao nosso turismo é irreversível. Por isso, vamos processar a agência nos EUA por divulgar uma informação infundada sobre o possível deslizamento -, disse na última segunda-feira (28) o presidente da região de Ancash, Freddy Ghilardi.

– Dentro de três semanas teremos o levantamento dos prejuízos reais, e então abriremos o processo -, afirmou Ghilardi.

Ele se apresentou aos jornalistas ao lado de dois artesãos que mostraram algumas peças de barro, madeira e tecido que não conseguiram vender nos últimos dias devido ao relatório da Nasa.

Há quase 15 dias, a Nasa lançou em seu site (www.nasa.gov) a pergunta “Perigo no Peru?” no título de um relatório que afirmava que um de seus satélites havia identificado uma grande rachadura na geleira Cupi, que se ergue sobre um lago situado a 45 quilômetros da cidade de Huaraz.

Mas especialistas peruanos qualificaram o relatório da Nasa como alarmista e disseram que as imagens obtidas por satélite não eram suficientes para declarar o perigo, já que seriam necessários também estudos de campo para justificar qualquer advertência.

Apesar disso, segundo Ghilardi, nos últimos dias foram canceladas 70% das reservas de hotéis em Huaraz, e apenas 4.500 turistas chegaram para as festividades da Semana Santa, em lugar dos 15 mil que eram aguardados. Cada um deles gastaria em média entre 80 e 90 dólares por dia.

Terra de culturas milenares, entre elas a dos Incas, o Peru tem no turismo sua terceira maior fonte de renda. Em seu relatório, a Nasa disse que, se um grande bloco de gelo se desprendesse da geleira, poderia cair sobre o lago e provocar um deslizamento de lama que alcançaria e destruiria parte de Huaraz em apenas 15 minutos.

– Agora a Nasa deve assumir sua responsabilidade e nos indenizar pelo que perdemos e o que podemos vir a perder até o fim do ano, para que não volte a agredir nossa região, que tem no turismo uma de suas poucas fontes de renda -, afirmou o presidente regional.

Huaraz é vista como tendo grande valor turístico por sua localização próxima ao Huascarán, o pico nevado mais alto do Peru, com 6.768 metros de altitude. Em 1941 a cidade sofreu uma avalanche de lama que matou 5.000 pessoas.

Outra avalanche soterrou por completo a cidade vizinha de Yungay e seus quase 25 mil moradores em 1970, quando um terremoto causou o desprendimento de um bloco de gelo do Huascarán. O gelo caiu sobre uma lagoa próxima do povoado.