Reestimativa prevê R$ 23,8 bilhões a mais de arrecadação em 2013

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de outubro de 2012 as 12:20, por: cdb

O relator de Receitas da proposta de Orçamento para 2013, deputado Cláudio Puty (PT-PA), apresentou nesta quinta-feira (25) a reestimativa de arrecadação para o próximo ano com um acréscimo de R$ 23,8 bilhões. Segundo ele, o relatório entregue à Comissão Mista de Orçamento “aposta no crescimento econômico e no aumento da massa salarial”.

Dos R$ 23,8 bilhões, R$ 1,85 bilhão vai para os fundos de participação de estados e municípios (FPE e FPM), cuja transferência é obrigatória, de acordo com a arrecadação do Imposto de Renda. O restante – R$ 22 bilhões – será usado pelos parlamentares para a apresentação de emendas individuais e coletivas e para compensar os estados pelas perdas provocadas pela Lei Kandir.

Com o acréscimo, as receitas federais devem somar R$ 1,25 trilhão em 2013. O relatório deverá ser votado na Comissão de Orçamento até a próxima quarta-feira (31).

Puty explicou que manteve a previsão do projeto do Executivo de crescimento econômico de 4,5% em 2013, mas reviu o de 2012 de 3% para 2%. Por causa da queda do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, a arrecadação federal deverá fechar com R$ 40 bilhões a menos do que a prevista na lei orçamentária de 2012.

Já para 2013, a reestimativa de receitas foi positiva devido à previsão de aquecimento da economia. Os R$ 22 bilhões saíram, em grande parte, da perspectiva de aumento na arrecadação de tributos e de contribuições previdenciárias.

Mercado de trabalho
A massa salarial, por exemplo, que serve de base para a arrecadação das contribuições previdenciárias, foi revisada pelo relator, que prevê um aumento de mais de 13% em 2013. O texto original indica 10%.

Cláudio Puty afirmou que o crescimento da massa salarial – soma de todos os salários pagos aos trabalhadores durante o ano – tem surpreendido os especialistas. “O mercado de trabalho brasileiro, não obstante a desaceleração econômica, tem crescido e mostrado bons níveis de formalização e de aumento de salário”, apontou o relator.

Na terça-feira (30), a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, virá à Comissão de Orçamento para falar sobre a proposta orçamentária.

Reportagem – Sílvia Mugnatto/Rádio Câmara
Edição – Daniella Cronemberger