Rede Bahia e ACM Neto sofrem esculacho por ligação com ditadura

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de outubro de 2012 as 10:20, por: cdb

O Levante Popular da Juventude realizou um esculacho em Salvador (BA) contra a Rede Bahia de Televisão e um de seus donos, o candidato à prefeitura da capital baiana, Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto (DEM), o ACM Neto. Os manifestantes saíram em passeata da Avenida Cardeal da Silva até a frente da emissora, na rua Professor Aristides Novis, onde realizaram o protesto.

Protesto realizado na porta da emissora, em Salvador – Foto: Levante Popular
  De acordo com o movimento, o protesto teve como objetivo “resgatar a memória do povo baiano e denunciar seus verdadeiros inimigos”. “A Rede Bahia, afiliada da Rede Globo de Televisão, esconde que a sua história tem relação direta com a ditadura militar no Brasil (1964-1985), responsável por torturas e assassinatos de inúmeros jovens lutadores e lutadoras do povo brasileiro que almejavam ver brotar a democracia em nosso país”, afirma o manifesto do movimento.

A Rede Bahia é a maior emissora de televisão das regiões norte e nordeste. O grupo pertence à família Magalhães e ACM Neto participa de seu capital social com quase 10 milhões, de acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Segundo o Levante Popular, a família Magalhães detém hoje 114 emissoras de rádio e 7 emissoras de televisão aberta. A maior parte das concessões foi obtida quando Antônio Carlos Magalhães, o ACM, foi ministro das Comunicações. “[Eles] utilizam desse poder econômico para dominar o nosso povo, através de mentiras e manipulações. A Rede Bahia sempre esteve à serviço do Carlismo e de suas aspirações antipopulares e autoritárias”, denuncia o movimento.

Leia abaixo o manifesto do Levante Popular da Juventude:

Levante contra a Rede Bahia e ACM Neto!

“Nunca mais o despotismo
Regerá nossas ações
Com tiranos não combinam
Brasileiros corações”.
(Hino da nossa Independência!)

Saímos às ruas na manhã de hoje marchando em direção à sede da REDE BAHIA em Salvador, empreendimento econômico ligado à família de Antônio Carlos Peixoto de Magalhães Neto, o ACM NETO, para resgatar a memória do povo Baiano e denunciar os seus verdadeiros inimigos! A REDE BAHIA, afiliada da REDE GLOBO DE TELEVISÃO, esconde que a sua história tem relação direta com a Ditadura Militar no Brasil (1964-1985), responsável por torturas e assassinatos de inúmeros jovens lutadores e lutadoras do povo brasileiro que almejavam ver brotar a democracia em nosso país.

O “coronel” da família Magalhães, o ACM, foi um dos próprios articuladores do golpe Militar em 1964, assumindo a prefeitura de nossa cidade três anos depois em 1967 pela ARENA (partido da ditadura), e posteriormente, passando pelo PDS que viria a se converter no Partido da Frente Liberal, o antigo PFL (DEM), que tem hoje como uma das suas principais lideranças o ACM NETO. O objetivo de ACM NETO é reconstruir um projeto político de dominação voltado para as oligarquias e para as elites, o qual foi superado pela luta do povo baiano, sobretudo, pela participação ativa da juventude consciente de Salvador. A frase que descreve bem os interesses da família Magalhães foi pronunciada pelo “velho” em 1982, quando disputava a reeleição ao governo do estado da Bahia, afirmando: “ganharei com o chicote numa mão e o dinheiro na outra”. O chicote ainda está vivo na nossa memória. O dinheiro está cada vez mais concentrado nas mãos deles! Algo extremamente injusto para a população de uma cidade que convive com um dos maiores índices de desigualdade do país.

Não esqueceremos que a REDE BAHIA se consolidou como um verdadeiro império das comunicações com o manejo ilícito da máquina do Estado operado durante as gestões do ex-senador e ex-ministro Antônio Carlos Magalhães – nos períodos em que exerceu seu projeto tirano de poder. A família Magalhães edificou boa parte da sua fortuna, da qual ACM NETO é beneficiário direto, através de chantagens e violência. ACM NETO participa com quase 10 milhões de reais, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, do capital social da REDE BAHIA. Neste sentido, fica claro compreender que o referido grupo visa defender os seus interesses e da sua família. É justamente por isso que elaboram pesquisas de IBOPE em favor da sua candidatura.

O Império da REDE BAHIA é representado em seis segmentos: Mídia Eletrônica, Mídia Impressa, TV por Assinatura, Construção Civil, Conteúdo e Entretenimento e Desenvolvimento de Novos Negócios. ACM promoveu, enquanto permaneceu no Ministério, um festival de distribuição de emissoras de rádio e TV via drenagem de recursos públicos, para exercer o controle sobre a comunicação de massa. Todo poder pertence ao povo! É preciso retirá-lo das mãos da família ACM, associada das organizações Globo e Grupo Abril (responsável pela Veja). A “família” detém 114 emissoras de rádio e 7 emissoras de televisão aberta! Utilizam desse poder econômico para dominar o nosso povo, através de mentiras e manipulações. A Rede Bahia sempre esteve à serviço do Carlismo e de suas aspirações antipopulares e autoritárias. É tudo “farinha do mesmo saco”. Visam destruir as conquistas sociais dos últimos períodos. São contra a democratização da comunicação, contra a entrada do povo negro nas universidades e instituições de ensino, são contra a liberdade e a democracia. Diante disto saímos às ruas! Seguiremos em luta até que o nosso povo seja verdadeiramente livre! Conclamamos a juventude consciente de Salvador para se posicionar nessa questão e construirmos juntos um verdadeiro LEVANTE CONTRA A REDE BAHIA E ACM NETO! Como diz o nosso Hino de Independência, “com tiranos não combinam brasileiros corações”.

Fonte: Brasil de FatoOusar lutar, ousar Vencer!

Levante Popular da Juventude.

 

..