Recusa do Flamengo irrita técnico do Real Potosí

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 16 de fevereiro de 2007 as 18:33, por: cdb

Após o presidente do Flamengo afirmar na quinta-feira que o time rubro-negro não jogará mais em altitude, o Real Potosí vai pedir aos principais organismos do futebol para não atuar no nível do mar e nas altas temperaturas cariocas.

– Pediremos para não jogar no calor, porque para nós os mosquitos e a umidade são inóspitos. Isso nos afeta quando descemos – afirma o dirigente do time, Angelo Pórcel, ao jornal Lá Razón.

Pórcel rechaçou a posição do Flamengo, e lembrou que o clube deu ao Rubro-negro todas as comodidades enquanto esteve na cidade boliviana a 4.000 metros de altitude. Citou como exemplo que o time jogaria em Trinidad e Tobago normalmente, “porque o futebol é universal, e não discriminatório”.

A imprensa de Potosí lembrou que o Paraná venceu o Cobreloa no deserto de Calama e nada se falou da altitude chilena.