Recuperação de estradas vai custar R$ 2,5 bilhões para o Brasil

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 16 de maio de 2003 as 04:44, por: cdb

O Ministério dos Transportes já possui uma verba de cerca de 1,4 bilhão, de que a pasta já dispõe para aplicar em infra-estrutura, mas ainda necessita de mais 1,1 bilhão de reais no orçamento para recuperar estradas e melhorar a infra-estrutura da malha rodoviária do país.

O secretário-executivo do ministério, Keiji Kanashiro, disse que o montante que está sendo pedido seria suficiente para melhorar a qualidade de cerca de sete mil quilômetros de estradas.

Com o aporte de mais 1,1 bilhão, a pasta teria 2,5 bilhões para pôr em prática uma das metas do Governo Lula que é a recuperação de parte da malha rodoviária do país antes de setembro, quando tem início a temporada das chuvas.

Para o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guido Mantega, a liberação dos recursos é praticamente certa, embora ainda sem data prevista.

Apesar de R$ 3,9 bilhões estarem previstos no Orçamento do Ministério dos Transportes, neste ano apenas R$ 1,4 bilhão estão disponíveis.

Mantega fez sua declaração depois de uma reunião de mais de duas horas com os ministros Anderson Adauto, dos Transportes, e Antonio Palocci, da Fazenda, para discutir o assunto.

Os recursos deverão ser aplicados em obras prioritárias como a BR 116 (Bahia), a Fernão Dias (Minas Gerais-São Paulo) e a BR 101 (São Paulo-Rio Grande do Sul).

De acordo com Kanashiro, os recursos que forem liberados serão aplicados prioritariamente nas obras que estão praticamente concluídas, ou seja, com mais de 70 por cento de execução.

– A pior obra é a que não termina – enfatizou o secretário.