Reconstituição da morte do juiz em Vitória será na semana que vem

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de maio de 2003 as 19:05, por: cdb

O delegado chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Danilo Bahiense, informou nesta sexta-feira que ainda não tem a data exata para realização da reconstituição da morte do juiz Alexandre Martins de Castro Filho, ocorrida em 23 de abril último.

– Vai ser na semana que vem, mas não será segunda-feira, pois estamos acertando os detalhes com os peritos e é um coisa demorada de se fazer -, disse ao confirmar a realização da reconstituição do crime.

O delegado disse ainda que tem um novo prazo de 30 dias, concedido pelo juiz Wladson do Couto Bittencourt, da 4ª Vara Criminal de Vila Velha para concluir o inquérito que tem como denunciados os executores: Odessi Martins da Silva Júnior , o Lumbrigão, que pilotava a moto e deu o tiro de misericórdia na cabeça do juiz; Giliarde Ferreira de Souza , o Gi, carona da moto e que fez os primeiros disparos; Leandro Celestino dos Santos, o Pardal, que cedeu as armas para Lumbrigão e Gi e André Luiz Barbosa Tavares que emprestou a moto.

Todos estão presos e tiveram a prisão temporária renovada por mais 30 dias, enquanto o delegado Bahiense conclui o inquérito e a Justiça decide, ou não, pela manutenção da continuidade da prisão preventiva dos quatro.

O inquérito voltou às mãos do delegado desde a noite da última quarta-feira (30). Ele pretendia relatá-lo nesta sexta-feira, mas em função de novo prazo judicial terá mais tempo para ampliar e consubstanciar as provas do crime. Somente depois disso é que o inquérito para apurar a responsabilidade dos mandantes do crime será iniciado. Mas isso não impede que as investigações em torno dos mandantes estejam em andamento.

A polícia já tem três nomes dos supostos mandantes e intermediários sendo investigados e que por enquanto não podem ser revelados.