Quilombolas cantam e dançam em frente ao STFpela manutenção de decreto da demarcação de terras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de abril de 2012 as 15:57, por: cdb

Da Agência Brasil

Brasília – Com música e dança, cerca de 100 remanescentes de quilombolas protestaram hoje (18) em frente ao Superior Tribunal Federal (STF), contra ação direta de inconstitucionalidade (ADI) que contesta decreto de demarcação de terras ocupadas por remanescentes de comunidades quilombolas.

O STF julga hoje a ADI 3239, apresentada pelo DEM, que contesta o Decreto 4.887/03, que regulamenta o procedimento de identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas pelos quilombolas.

Para o coordenador da manifestação e integrante da Frente Nacional em Defesa dos Territórios Quilombolas, Telmo Flores, se o decreto for revogado, os índios e quilombolas do país estarão seriamente ameaçados. “É fundamental que o decreto continue em vigor. Tenho esperança que seja mantido, é um caso de vida ou morte”, disse.

Segundo ele, os quilombolas do Rio Grande do Sul, estado onde mora, são frequentemente ameaçados por ruralistas. “O decreto nos dá o amparo legal para reclamar nossas terras.”

Munidos de tambores, incensos e bandeiras, os manifestantes cantaram e dançaram tambor de criola, dança típica dos negros do Maranhão, apresentando um pouco da cultura do estado aos turistas que passavam pela Praça dos Três Poderes.

Estiveram presentes na manifestação representantes de quilombos do Maranhão, de Minas Gerais, do Rio de Janeiro, da Bahia e do Rio Grande do Sul.

Edição: Lana Cristina