Quênia desfaz comitê olímpico devido a problemas na Rio 2016

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 25 de agosto de 2016 as 12:18, por: cdb

Apesar dos problemas, o Quênia teve seu melhor desempenho olímpico na Rio 2016, saindo com seis medalhas de ouro, seis de prata e uma de bronze, todas no atletismo

Por Redação, com Reuters – de Nairóbi:

O Quênia desfez seu comitê olímpico nacional devido ao mau gerenciamento da delegação do país do leste africano na Olimpíada do Rio de Janeiro, disse o ministro do Esporte queniano, Hassan Wario, nesta quinta-feira.

O Quênia desfez seu comitê olímpico nacional devido ao mau gerenciamento da delegação
O Quênia desfez seu comitê olímpico nacional devido ao mau gerenciamento da delegação

Wario criou uma comissão para investigar a má conduta, que irá apresentar suas descobertas até 30 de setembro. Também foi solicitado que o Diretório de Investigação Criminal inicie um inquérito.

– Há alegações de má administração na facilitação de nossos atletas e de toda a delegação do Quênia que vão da acomodação a incidentes de viagem, da inépcia no credenciamento da lista de participantes ao fornecimento de kits que nunca chegaram aos atletas – disse Wario em uma coletiva de imprensa.

– Por isso, estou desfazendo o comitê olímpico nacional com vigência imediata e transferindo suas responsabilidades à (entidade estatal) Sports Kenya, que terá a administração interina – acrescentou.

Antes da Rio 2016, o chefe da delegação do Quênia, Wesley Korir, criticou os dirigentes olímpicos do país dizendo que a equipe precisava de gerenciamento melhor, pagamento de subsídios pendentes e o fim imediato dos supostos assédios de agentes antidoping a atletas.

Francis Paul, secretário-geral do NOC-K, disse que sua organização irá consultar o Comitê Olímpico Internacional (COI) a respeito da decisão de Wario.

Apesar dos problemas, o Quênia teve seu melhor desempenho olímpico na Rio 2016, saindo com seis medalhas de ouro, seis de prata e uma de bronze, todas no atletismo.

Grécia

O governo da Grécia passou por um constrangimento nesta quinta-feira, quando uma cerimônia especial em homenagem à delegação olímpica do país foi realizada sem Anna Korakaki, uma de suas três medalhistas de ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro.

Anna, atiradora de 19 anos, conquistou duas das seis medalhas gregas no evento, ouro na final feminina de pistola de 25 metros e bronze na final de pistola de ar de 10 metros.

O presidente grego, Prokopis Pavlopoulos, se encontrou com os outros medalhistas, mas Anna não conseguiu comparecer porque as autoridades só informaram os atletas sobre a homenagem no final da tarde de quarta-feira.

– Realmente não sei o que dizer, me sinto frustrado. Eu me desentendi com muitas pessoas recentemente, e obviamente estamos pagando por isso agora – disseram o treinador e pai de Anna, Tasos Korakakis, ao site esportivo grego gazzetta.gr.

– Eu realmente não quero acreditar que ela não foi convidada deliberadamente, mas mesmo assim tenho minhas dúvidas… na verdade soube da homenagem pelos jornalistas na noite passada e contatei o presidente do Comitê Olímpico Helênico (HOC), senhor (Spiros) Kapralos, que acho que não tem nenhuma responsabilidade por isso, mas não há desculpa.