Queda do dólar faz alimentos ficarem mais baratos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 4 de junho de 2007 as 12:25, por: cdb

O dólar está provocando mudanças no cardápio do brasileiro. Produtos como azeite de oliva virgem, presunto sem capa de gordura e manteigas sem colesterol são alguns que ficaram mais acessíveis devido à queda da moeda norte-americana. Nos últimos 12 meses, o reajuste no preço dos alimentos ficou abaixo de 2%.

Uma pesquisa feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra como os preços de alguns produtos que sofrem influência da taxa de câmbio caíram de maio de 2006 a abril de 2007. O açúcar, cotado no mercado internacional, ficou 16,76% mais barato. A carne de porco, exportada pelo Brasil, caiu 3,23%.

Os preços do macarrão (2,72%) e das massas prontas (2,87%), que têm como base o trigo importado, estão quase 3% menores. O óleo de oliva importado caiu quase na mesma proporção (2,64%), seguido do presunto, praticamente 2,5% mais em conta. No mesmo período, o preço da manteiga caiu 1%.

De acordo com a pesquisa, os produtos que não têm relação direta com a taxa de câmbio tiveram aumentos mais suaves.

O que o consumidor vê no supermercado está expresso nos índices de preço. Em 12 meses, a alta no preço dos alimentos foi de 1,8%, abaixo da inflação no período, que foi de 2,8% no Brasil.

Já nos Estados Unidos, os alimentos estão pressionando os índices de preço. Lá, eles subiram 3,7%, mais do que a inflação do período, que foi de 2,5%. Na Inglaterra, os alimentos aumentaram 6%, mais do que o dobro da inflação: 2,8%.

Especialistas do FGV indicam que uma boa maneira de economizar no supermercado é prestar atenção nas promoções ou comprar produtos no melhor momento: frutas da época, legumes da estação e, agora, alimentos com preços menores por causa do dólar.

Em um ano, a desvalorização do dólar no Brasil é de quase 18%. A moeda americana está cotada no menor valor desde novembro de 2000: cerca de R$ 1,90.