Quatro mil empresas devem começar a exportar este ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 21:05, por: cdb

O governo pretende incluir no mercado exportador, este ano, quatro mil pequenas e médias empresas. A informação é do governador do estado alemão de Baden-Württemberg, Erwin Teufel, que conversou terça-feira por cerca de uma hora com o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan.

Em 2002, o Brasil exportou R$ 60,3 bilhões. As previsões para este ano, como as do Banco Central, alcançam até US$ 66 bilhões, nessas vendas, resultando em um superávit de US$ 16 bilhões.

O governador disse que ouviu do Ministro que entre as prioridades do Governo brasileiro estão a criação de mais empregos, principalmente, nos setores químico, petroquímico, eletrônico e eletroeletrônico que acumulam um déficit comercial de US$ 8,5 bilhões. De acordo com o visitante, outras prioridades, segundo Furlan, são acordos de livre comércio com a União Européia e os Estados Unidos.

Teufel, que está no Brasil, acompanhado por uma comitiva de 70 empresários e reitores universitários, disse que pretende ampliar as cooperações bilaterais comerciais e científicas. Lembrou que, na prática isso pode acontecer com as “bolsas de cooperação” entre empresários do Brasil e da Alemanha, por meio das quais, se pretende identificar oportunidades de negócios. Acrescentou que na área cientifica quer aumentar as 22 parcerias existentes atualmente com as universidades brasileiras.

Na avaliação do governador, a ameaça de uma guerra Estados Unidos/Iraque não afeta os investimentos alemães no Brasil. Segundo ele, “o mais importante é ter confiança, no longo prazo, no Brasil e no cenário externo”. Ele observou que a confiança no País está demonstrada no acordo bilateral na área de energia elétrica.

Teufel destacou que, somente em São Paulo, o estado que ele governa tem 200 empresas. Instaladas, inicialmente, há quarenta anos, essas empresas, segundo ele, são responsáveis por 40 mil postos de trabalho, e investimento de 2 bilhões de euros. Acrescentou que Baden-Württemberg detém a maior exportação da Alemanha, com 25% de participação, o que representa, anualmente, 98 bilhões de euros em exportação e 74,8 bilhões de euros em importação.

O governador elogiou a capacidade de Luiz Fernando Furlan, como um empresário que atua há 36 anos e conhece o mundo todo. Disse ainda que o Ministro aceitou o seu convite para visitar Baden-Württemberg e que espera também pela ida de uma comitiva de empresários brasileiros.

Em 2002, as exportações brasileiras para a Alemanha representaram 4,2% do total das vendas para o exterior contra 9,3% de importações daquele país. No período, a balança comercial foi desfavorável ao Brasil em US$ 1,8 bilhão. A corrente de comércio bilateral ficou em US$ 6, 9 bilhões. Os produtos mais exportados foram: minério de ferro, café, frango e soja. As maiores importações foram de partes para automóveis e tratores, automóveis, motores para veículos, controladores eletrônicos para veículos e robôs industriais.