Quatro das sete cidades pesquisadas pela FGV têm inflação semanal maior

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 17 de março de 2010 as 12:11, por: cdb

Quatro das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas (FGV) apresentaram acréscimo no Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) de 15 de março. Na média nacional, o IPC-S chegou a 0,93% – 0,05 ponto percentual acima da taxa registada na apuração anterior, de 7 de março.

Segundo os dados divulgados nesta quarta-feira  pela FGV, o IPC-S da cidade de São Paulo ficou em 0,87% neste levantamento, ante 0,81% da pesquisa anterior. Duas das sete classes de apresentaram acréscimo na segunda prévia de março: vestuário, de -0,93% para -0,35%, e alimentação, de 1,91% para 2,33%. Roupas, hortaliças e legumes são os itens que tiveram destaque.

Em contrapartida, os grupos transportes (de 0,66% para 0,34%), saúde e cuidados pessoais (0,59% para 0,43%), educação, leitura e recreação (0,06% para 0,05%), despesas diversas (0,45% para 0,34%), e habitação (0,24% para 0,18%) registraram queda nas taxas de variação. Os principais destaques foram os seguintes itens: álcool combustível, dentista, tarifa de passagem aérea, alimento para animais domésticos e condomínio residencial.

Na cidade do Rio de Janeiro, o IPC-S apresentou variação de 1,30%. O resultado é 0,16 ponto percentual superior ao registrado na primeira semana (1,14%). Segundo a FGV, quatro das sete classes de despesas componentes do índice aumentaram o ritmo de alta, com destaque para vestuário e alimentação, cujas taxas passaram de -0,49% para 0,76% e de 2,29% para 3,21%, respectivamente.

Além do Rio e de São Paulo, Brasília (de 0,40% para 0,44%) e Recife (de 0,74% para 0,79%) apresentaram IPC-S maior no período. Já Belo Horizonte (de 0,85% para 0,81%), Porto Alegre (de 1,37% para 1,36%) e Salvador (de 0,42% para 0,34%) tiveram taxas menores.