Putin revela o que espera da Turquia após incidente com avião

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de novembro de 2015 as 13:52, por: cdb

Por Redação, com Sputnik Brasíl – de Moscou:

O presidente russo Vladimir Putin, declarou nesta quinta-feira que um pedido de desculpas do governo turco, compensação de danos e punição dos culpados, é exatamente isso que a Rússia espera da Turquia após esta ter derrubado um avião militar russo na Síria.

Na última terça-feira um caça russo Su-24 foi derrubado por um míssil ar-ar turco em espaço aéreo sírio. O Ministério da Defesa russo garante ter provas objetivas de que em nenhum momento da missão a aeronave chegou a cruzar o espaço aéreo da Turquia.
O presidente russo Vladimir Putin
O presidente russo Vladimir Putin

A Rússia classificou o incidente como um “golpe pelas costas” e disse que o mesmo terá consequências sérias para as relações entre Moscou e Ancara.

Contrariando o bom senso e a lei

Putin disse ter a certeza de que as ações da Força Aérea turca violaram o direito internacional, mas Ancara resiste em reconhecer os seus erros.

– Aquilo o que aconteceu há dois dias nos céus da Síria contraria o bom senso e o direito internacional. O avião foi abatido sobre o território sírio. Apesar disso, até agora nós não ouvimos pedidos claros de desculpas por parte da cúpula política da Turquia, tampouco tivemos propostas de compensação dos danos causados ou promessas para punir os autores do crime cometido – disse o presidente russo durante uma cerimônia no Kremlin.

Putin acrescentou não pode deixar de tratar a presente situação como uma traição, principalmente quando levado em conta o fato de que Moscou considerava Ancara como seu parceiro e aliado.

– Não posso deixar de dizer que nós consideramos como inexplicáveis os golpes traiçoeiros aplicados pelas costas por aqueles em quem nós enxergávamos parceiros e aliados na luta antiterrorista  – disse  o líder russo.

Relações se dirigem para um impasse

Putin lamentou ainda o fato de o incidente com Su-24 conduz as relações russo-turcas a um impasse.

– Forma-se a impressão de que o governo turco conduz conscientemente as relações russo-turcas para um impasse, e nós lamentamos isso – disse o presidente russo.

Junto a isso, Putin destacou que quaisquer tentativas de justificar ou favorecer o terrorismo devem ser tratadas como cumplicidade como mesmo e lembrou que existe gente ganhando bilhões de dólares com a cooperação com o grupo terrorista “Estado Islâmico”.

– Os terroristas, o seu comércio ilegal de petróleo, pessoas, drogas, obras de arte, armas, não foram ou estão sendo apenas encobertos, mas alguém também continua ganhando dinheiro com isso, e ganhando centenas de milhões de dólares – disse Putin.

O principal ainda não foi dito

Especialistas acreditam que, antes de tudo, para sair desse impasse, algumas das coisas pautadas por Putin precisariam ser atendidas. Eles destacam, no entanto, que as palavras do presidente não devem ser tratadas em tom de exigências.

– Quanto aos pedidos de desculpas, estes realmente não foram feitos, tal qual não foram anunciadas as propostas de compensar os prejuízos pela aeronave abatida e o piloto morto. Não acredito que isso possa ser tratado como uma formulação de exigências, apesar de o presidente ter dito antes que uma resposta simétrica seria dada – revelou à agência russa de notícias Sputnik Vladimir Sotnikov, pesquisador chefe do Centro de Segurança Internacional do Instituto de Economia Mundial e Relações Internacionais da Academia de Ciências da Rússia.

Na sua opinião, exigências mais concretas ainda serão anunciadas por Kremlin. “O principal ainda não foi articulado por Putin”, garante o especialista. Sotnikov acredita que as expectativas de Moscou deverão ser formuladas de modo com que “a Turquia deixe de fazer campanha para se fazer correta e pintar a Rússia de culpada”.