Psicanalista fala sobre o amor absoluto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de novembro de 2003 as 19:18, por: cdb

A escritora e psicanalista Betty Milan lança o livro O Amante Brasileiro, pela editora A Girafa, que é um “romance de amor”, segundo definição da própria escritora. Ela diferencia o amor absoluto do ilusório. Aproveite para ler o que Betty Milan pensa, exatamente sobre o tema básico do livro.

– Você acredita no amor?

– Piamente. Ainda mais do que na época em que eu escrevi E o que é o Amor? De certa forma eu preferia não mais viver o amor-paixão, pelo que há de melancólico nessa forma de amor. Quem ouviu a Dama das Camélias cantando se lembra da ária em que ela canta Cruz e Delícia. O amor é Cruz e Delícia, é Santa Teresa d’Avila dizendo que quer morrer de não morrer, é Romeu e Julieta se suicidando. Verdade que o amor é mortífero, verdade que o amante é egoísta, a religiosa chega mesmo a dizer que acima do amado está o amor, que a ela menos importa o amado do que a possibilidade de amar.

– Mas o amor é só sofrimento?

– O amor é trágico mas é ele, por outro lado, que permite superar a condição trágica do ser, permite que esqueçamos a morte e as perdas todas a que nós estamos sujeitos. O amor é uma flor do mal que é um bem, como eu disse no meu livro E o que é o Amor? Ninguém aliás expressou melhor o caráter contraditório do amor do que Camões dizendo: “amor… um fogo que arde sem se ver… ferida que dói e não se sente… contentamento descontente… dor que desatina sem doer”.

– Você acha que amamos o amor?

– Nós humanos tanto amamos o amor que, se o ser amado não existe, nós o inventamos. O Quixote não inventou a Dulcinéia? Não fez e aconteceu por causa dessa invenção? O amor move montanhas, ou melhor, como dizia Dante, move o sol e as estrelas, ainda que ele seja o desejo impossível de fazer um só de dois – dois sujeitos, cada um com um desejo diferente. E como dizia Lacan, o meu analista, a quem eu amorosamente dediquei o meu romance O Papagaio e o Doutor, a razão de ser do amor é essa impossibilidade

O lançamento acontece às 19h, na livraria Cultura do Conjunto Nacional, na rua Padre João Manoel, 40, loja 151, tel. 3285-4033).